Julie Sweet é a primeira mulher à frente da Accenture

Formada em direito, promotora da igualdade de género e já trabalhadora da Accenture, Julie Sweet vai substituir David Rowland no cargo de CEO da consultora.

Julie Sweet foi nomeada diretora executiva da Accenture, tornando-se, assim, a primeira mulher a ocupar este cargo na gigante de consultoria. David Rowland, atual CEO da empresa, vai passar a presidente. As trocas nos quadros de topo da Accenture foram esta sexta-feira noticiadas pelo Financial Times (acesso pago), mas só deverão realizar-se em setembro, mês em que Julie Sweet inicia as suas novas funções.

Sweet, de 51 anos, já não era, contudo, uma desconhecida no seio da Accenture. A nova CEO da consultora já liderava a ramo norte-americano, a maior divisão da empresa e que é responsável por quase 50% das receitas globais.

Além da experiência na consultora, o seu currículo inclui ainda o facto de ser uma voz ativa na promoção da igualdade de género. De acordo com Julie Sweet, a Accenture está a fazer o caminho certo para a diversidade de género. Dos 500.000 trabalhadores da empresa, 43% são mulheres.

Formada em direito, a futura diretora executiva diz, também, que a sua formação, ajudou-a a ser uma “rápida aprendiz”. “Como líderes, temos realmente de ser aprendizes contínuos. A minha formação ajudou-me a lidar com um ambiente complicado e rápido”, afirma.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Julie Sweet é a primeira mulher à frente da Accenture

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião