Banco de Portugal mandou travar crédito do Finibanco em 2010

  • ECO
  • 12 Julho 2019

O crédito do Finibanco à Domusvenda foi anulado por instruções do Banco de Portugal, na altura liderado por Vítor Constâncio.

Para acautelar perdas futuras, o Banco de Portugal (BdP) ordenou, em 2010, ao Finibanco que provisionasse a 100% os empréstimos dados à Domusvenda ou que, em alternativa, os revertesse, o que veio a acontecer. O banco central era na altura liderado por Vítor Constâncio.

Em causa estava um “contrato de cessão de créditos” registados por 146 milhões de euros, vendidos à Domusvenda por 17,704 milhões de euros, numa operação financiada em 99% pelo próprio Finibanco, avança esta sexta-feira o jornal Público (acesso pago).

O relatório da inspeção do Banco de Portugal diz respeito à atividade do Finibanco até 20 de setembro de 2009 e depois do “trabalho de campo” entre 26 de outubro e 10 de dezembro. Durante esse período, a entidade de supervisão bancária deparou-se com uma operação de “cessão de créditos abatidos ao ativo” no valor de 145,688 milhões de euros: 92,847 milhões contabilizados no Finibanco e 52,841 milhões no Finicrédito.

Comentários ({{ total }})

Banco de Portugal mandou travar crédito do Finibanco em 2010

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião