N26 angaria mais 170 milhões de dólares. “Engordou” 800 milhões em apenas seis meses

O N26 voltou a reforçar capital. Desta vez, foram, 170 milhões numa nova ronda em que participaram os chineses da Tencent. Valor do banco digital já chega a 3,5 mil milhões.

O banco digital N26 angariou mais 170 milhões de dólares numa nova ronda de financiamento que inclui a chinesa Tencent e um fundo do investidor norte-americano Peter Thiel, entre outros parceiros. A operação avalia a empresa alemã em 3,5 mil milhões de dólares, de acordo com o Financial Times (acesso pago).

Isto significa que a empresa aumentou o seu valor de mercado em 800 milhões de dólares em apenas seis meses, tornando-se na fintech europeia mais bem capitalizada, segundo o mesmo jornal. A empresa também tem operações em Portugal, onde conta com autorização do Banco de Portugal para operar como instituição de crédito — ou seja, como banco.

Enquanto banco digital, que concorre diretamente com a britânica Revolut, o N26 não tem balcões físicos nos vários mercados, o que representa uma poupança significativa nas despesas. A empresa angariou 300 milhões de dólares em janeiro, capital no qual ainda nem sequer tocou.

Também não estava à espera de uma nova ronda de financiamento, mas acabou por ser convencida pelo interesse dos investidores, disse ao Financial Times o cofundador do N26, Maximilian Tayenthal. O banco digital com origem na Alemanha espera agora usar o capital em caixa para expandir o negócio em novos mercados na Europa, entre outras coisas.

Desde 2016 que a empresa fornece em Portugal a aplicação e o cartão de débito da MasterCard que permite aceder à conta através de qualquer ATM ou terminal Multibanco. Não revela quantos clientes tem em Portugal, mas conta com 200 mil contas abertas no Reino Unido desde outubro do ano passado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

N26 angaria mais 170 milhões de dólares. “Engordou” 800 milhões em apenas seis meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião