CaixaBank diminui lucros em 52,1% para 622 milhões no primeiro semestre

  • Lusa
  • 26 Julho 2019

Grupo bancário espanhol implicou despesas de 978 milhões de euros, para suprimir, com adesões voluntárias, 2.023 postos de trabalho.

O grupo bancário espanhol CaixaBank, dono do BPI, obteve lucros de 622 milhões de euros no primeiro semestre de 2019, uma diminuição de 52,1% em relação ao mesmo período de 2018, devido ao acordo laboral com os sindicatos.

Na informação que transmitiu sexta-feira ao mercado, o banco espanhol explica que o resultado do semestre seria de 1.307 milhões de euros (+0,7%), se não tivesse chegado a acordo com os trabalhadores, alcançado no segundo trimestre, que implicou despesas de 978 milhões de euros, para suprimir, com adesões voluntárias, 2.023 postos de trabalho.

O grupo alcança pela primeira vez os 600.000 milhões de euros de volume de negócio (+4,9%), explicado pelo “sucesso comercial”.

Os recursos aumentaram para 380.864 milhões de euros (+6,2% em 2019), com o crédito aos clientes a ficar nos 230.867 milhões de euros (+2,7% durante o semestre).

No final do primeiro semestre de 2019, o rácio do crédito mal parado diminuiu para 4,2% e os créditos duvidosos baixaram 793 milhões de euros, para 10.402 milhões de euros.

O CaixaBank tinha em 30 de junho último um rácio ‘Common Equity Tier 1’ (CET1) de 11,6%.

A entidade bancária refere que durante o segundo trimestre do corrente ano finalizou a venda da participação que tinha na petrolífera Repsol.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CaixaBank diminui lucros em 52,1% para 622 milhões no primeiro semestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião