Montepio perde 6 milhões de euros com venda de malparado

Panorama Jubilante comprou carteira de malparado de 320 milhões de euros ao Montepio, com perda de 6 milhões para o banco. Empresa do grupo da Whitestar tem nome "pomposo" porque foi criada na hora.

O Banco Montepio teve um prejuízo de seis milhões de euros com a venda de uma carteira de malparado com o valor bruto de mais de 300 milhões de euros, apurou o ECO. E quem comprou estes créditos em incumprimento foi a Panorama Jubilante, uma empresa criada através do serviço “Empresa na Hora” no passado dia 28 de novembro e que pertence ao grupo Arrow, a mesma dona da Whitestar.

No passado dia 12 de julho, o banco alienou uma carteira com 13 mil contratos de crédito em situação de incumprimento. Este portefólio de malparado tinha o valor bruto de 321 milhões de euros, segundo comunicou a instituição ao mercado.

Não se sabe o valor que foi pago pela Panomara Jubilante, para adquirir esta carteira, uma vez que haverá uma imparidade associada a estes créditos problemáticos, pelo que o seu valor real será inferior ao valor bruto. Mas o ECO apurou que a transação terá gerado uma perda de cerca de seis milhões para o banco liderado por Dulce Mota. E que foi este o preço a pagar para baixar o rácio de malparado em 1,8 pontos percentuais — o Banco Montepio chegou a março deste ano com um rácio de exposições não produtivas (NPE) 14,3%.

Uma vez que a operação ocorreu em julho, o impacto só deve refletir-se nas contas do terceiro trimestre. Nos três primeiros meses do ano, o Montepio registou um lucro de 6,5 milhões de euros

Contactado pelo ECO, o banco não quis fazer comentários, remetendo as informações para o que já havia dito no comunicado da passada sexta-feira.

São vários os bancos nacionais que têm apostado na venda de carteiras de ativos problemático. O Novo Banco é quem tem estado mais ativo. Ainda na semana passada fechou a venda de um portefólio de imobiliário de 400 milhões de euros ao fundo Cerberus. O BPI anunciou esta segunda-feira que pretende vender um conjunto de créditos em incumprimento até final do ano, ainda que o seu rácio de malparado já esteja abaixo do objetivo fixado pelas autoridades europeias, que apontam para nível de ativos problemáticos abaixo 5% nos próximos anos.

Jubilante criada na hora

Após o anúncio do negócio por parte do Banco Montepio, a Whitestar esclareceu que a Panorama Jubilante, criada no final de novembro do ano passado, é uma sociedade de direito português detida pelo grupo Arrow Global, “que no âmbito do seu papel no apoio a originadores e investidores nestas transações, adquiriu a sociedade com o intuito de permitir a estruturação do investimento”.

Tem como administrador único João Bugalho, que é o CEO da Whitestar, fundada em 2007, e que é a entidade que ficou responsável pela gestão dos imóveis e créditos detidos pela Panorama Jubilante.

Em relação ao nome pomposo da empresa, a designação de Panorama Jubilante foi automaticamente atribuída à sociedade, pelo Instituto dos Registos e Notariado, através do serviço “Empresa na Hora”, referiu a empresa.

Em 2015, a Whitestar foi adquirida pelo grupo Arrow Global, do Reino Unido, passando a integrar um dos principais grupos a operar no mercado de aquisição e gestão de carteiras de crédito. A Arrow tem sob gestão mais de 54 mil milhões de euros em ativos e mais de 2.000 colaboradores.

Comentários ({{ total }})

Montepio perde 6 milhões de euros com venda de malparado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião