Twitter admite que pode ter usado dados pessoais para anúncios sem permissão

A rede social liderada por Jack Dorsey encontrou um erro nas definições que pode ter feito com que dados tenham sido partilhados sem autorização dos utilizadores.

As polémicas com a violação de privacidade nas redes sociais ainda não chegaram ao fim. Desta vez foi o Twitter, que admitiu que pode ter utilizado dados pessoais dos utilizadores para anúncios personalizados sem a permissão dos utilizadores, devido a problemas com as definições da rede social.

A rede social liderada por Jack Dorsey adiantou que encontrou os erros e os corrigiu nesta segunda-feira, mas ainda não determinou quem pode ter sido afetado, avança a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês). Entre os dados que podem ter estado comprometidos estão o código geográfico do país, interação com anúncios e o dispositivo que o utilizador utilizada para aceder à rede social.

Os utilizadores que clicaram ou viram um anúncio para uma app móvel, não especificada, e interagiram com essa aplicação desde maio do ano passado são aqueles que podem ter tido certos dados partilhados com parceiros publicitários do Twitter, mesmo sem ter dado autorização. Já para aqueles que não se incluem neste grupo podem ter sido mostrados anúncios com base no dispositivo utilizado.

“Confiaste em nós para seguir as tuas escolhas e nós falhámos”, admite o Twitter, num post publicado no site da plataforma. A rede social garante que está a tomar os passos necessários para ter as certezas que não repetem “um erro destes”. Quanto ao que cabe aos utilizadores fazer, o Twitter diz que apenas podem verificar as definições.

Comentários ({{ total }})

Twitter admite que pode ter usado dados pessoais para anúncios sem permissão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião