Compra de jerricãs “dispara” com ameaça de greve

  • Lusa
  • 9 Agosto 2019

A ameaça de greve dos motoristas e a corrida às bombas está a levar a uma corrida à compra destes recipientes, que já estão esgotados em várias lojas do país.

A ameaça de greve dos motoristas de matérias perigosas está a originar uma “corrida” à compra de jerricãs, encontrando-se este recipiente esgotado em várias lojas do país, disseram esta sexta-feira à agência Lusa comerciantes do setor.

“Isto tem sido uma loucura. Até aqueles que tínhamos em exposição foram vendidos”, contou à Lusa um funcionário da loja de acessórios de automóveis de Portimão, no distrito de Faro.

A mesma fonte referiu que, desde o início do mês, as vendas naquela loja da cidade algarvia “dispararam” e que a média por pessoa tem sido de três a quatro jerricãs. “Outro dia veio cá um senhor e comprou dois jerricãs de 20 litros e outro de 10 litros”, contou.

O mesmo cenário repete-se numa loja da mesma cadeia, mas em Braga, onde também já não existem jerricãs disponíveis.

“O aumento da procura começou há cerca de 15 dias e neste momento está totalmente esgotado”, disse à Lusa uma funcionária daquela loja.

O aumento da procura e venda de jerricãs também se verificou num dos principais revendedores deste recipiente, com sede na cidade do Porto.

Segundo dados enviados pela empresa à Lusa, entre o dia 01 de julho e o dia de hoje foram vendidos 16 mil jerricãs, mais de nove mil do que em igual período do ano transato.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e o Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias (SIMM) convocaram uma greve a iniciar na segunda-feira, e por tempo indeterminado.

Esta greve ameaça parar o país em pleno mês de agosto, uma vez que vai afetar todas as tipologias de transporte de todos os âmbitos e não apenas o transporte de matérias perigosas. O abastecimento às grandes superfícies, à indústria e serviços deve ser afetado.

O Governo decretou na quarta-feira serviços mínimos entre 50% e 100% para a greve dos motoristas de mercadorias que se inicia no dia 12 por tempo indeterminado.

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.

O Governo decretou ainda serviços mínimos de 100% para abastecimento de combustíveis para instalações militares, serviços de proteção civil, bombeiros e forças de segurança.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Compra de jerricãs “dispara” com ameaça de greve

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião