Negociações exclusivas para comprar TVI vão durar 30 dias, avisa Cofina à CMVM

A Cofina e a Prisa vão estar a negociar exclusivamente durante 30 dias a venda do Grupo Media Capital. Regulador levanta suspensão da negociação das ações de ambas as empresas.

A Cofina e a Prisa vão estar a negociar exclusivamente durante 30 dias a venda do Grupo Media Capital, dona da TVI, confirmou a dona do Correio da Manhã, esta sexta-feira. Após o envio deste comunicado, o regulador anunciou o levantamento da suspensão da negociação das ações de ambas as empresas.

“Conforme anunciado a 14 de agosto de 2019, a Cofina e a Prisa encontram-se atualmente a negociar, em regime de exclusividade que vigora durante um período de 30 dias, que pode ser prorrogado por vontade das partes, os termos e condições de uma potencial aquisição, pela Cofina, da participação da Prisa na Grupo Media Capital”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No âmbito destas negociações, diz a Cofina, prevê-se que esta venha a “adquirir à Prisa a totalidade do capital social na Vertix, sociedade comercial através do qual a Prisa detém ações representativas de 94,69% do capital social e dos direitos de voto da Media Capital, ao invés de proceder diretamente à aquisição da participação na Media Capital“.

Caso as negociações terminem com a celebração de um contrato de compra e venda, a dona do Correio da Manhã e do Jornal de Negócios vai proceder à divulgação de um anúncio preliminar de oferta pública de aquisição (OPA) sobre as ações remanescentes da Media Capital.

Esta quarta-feira, o Expresso deu conta de que as empresas assinaram há três semanas um memorando de entendimento com vista à compra da Media Capital. A notícia, entretanto confirmada oficialmente, levou a CMVM a suspender os títulos na bolsa, até que informação adicional fosse dada pelas duas cotadas do PSI Geral.

Contudo, após a publicação deste comunicado, a negociação foi retomada. “O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou (…) o levantamento da suspensão da negociação das ações do Grupo Media Capital e das ações da Cofina, na sequência da divulgação de informação relevante”, anunciou regulador.

(Notícia atualizada às 18h12 com levantamento da suspensão da negociação das ações)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Negociações exclusivas para comprar TVI vão durar 30 dias, avisa Cofina à CMVM

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião