‘Stocks’ de combustíveis “mantêm-se estáveis e elevados”

  • Lusa
  • 18 Agosto 2019

A Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA) não exclusiva apresentava ‘stocks’ de gasóleo de 60,86% e 43,53% de gasolina, diz o Governo.

Os ‘stocks’ de gasóleo e gasolina “mantêm-se estáveis e elevados”, apesar de ser altura de mudança de quinzena, em que há um aumento significativo do consumo, indicou este domingo o Ministério do Ambiente e da Transição Energética.

Numa nota sobre o ponto de situação às 17H00 sobre a crise energética, o Ministério liderado por Matos Fernandes informa que a Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA) não exclusiva apresentava ‘stocks’ de gasóleo de 60,86% e 43,53% de gasolina. Já a rede REPA exclusiva apresentava à mesma hora níveis de preenchimento de ‘stocks’ de 60,9% de gasóleo e de e 91,46% de gasolina.

“Ao longo do dia de hoje, domingo, 18 de agosto, como estava previsto, não houve cargas, com exceção do abastecimento dos aeroportos Humberto Delgado e de Faro”, acrescenta o ministério.

Os serviços de abastecimento nos aeroportos foram os previstos, tendo sido mobilizadas quatro equipas das Forças Armadas para abastecer o aeroporto Humberto Delgado.

O ministro do Ambiente apelou este domingo para o fim da greve dos motoristas de matérias perigosas, no dia em que decorre um plenário desses trabalhadores para decidir se continuam ou terminam o protesto.

A greve começou na segunda-feira, 12 de agosto, por tempo indeterminado, para reivindicar junto da Antram o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

A paralisação foi inicialmente convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente dos Motoristas (SIMM), mas este último desconvocou o protesto na quinta-feira à noite, após um encontro com a Antram sob mediação do Governo.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

‘Stocks’ de combustíveis “mantêm-se estáveis e elevados”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião