Inflação na Zona Euro recua para 1% em julho. Portugal tem a taxa mais baixa e a única negativa

A taxa de inflação na Zona Euro baixou para 1% em julho, fixando o registo mais baixo de dois anos anos e oito meses. Portugal apresentou a taxa mais baixa entre os países da moeda única.

A taxa de inflação homóloga no espaço da moeda única recuou de 1,3% em junho para 1% em julho, atingindo assim o registo mais baixo dos últimos dois anos e oito meses, revelam dados do Eurostat publicados esta segunda-feira. Portugal apresentou a taxa mais baixa na Zona Euro e a única em terreno negativo.

Em junho, a taxa de inflação calculada pelo Eurostat ficou em 1,3%, tendo recuado no mês seguinte para 1%. É preciso regressar a novembro de 2016 para encontrar uma taxa de inflação mais baixa do que a agora registada.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) tinha indicado que Portugal registou uma taxa de inflação de -0,3% em julho. Mas na metodologia do Eurostat, que harmoniza a taxa de inflação para fazer comparações entre os países, a taxa para Portugal ficou em -0,7%.

Esta foi a taxa mais baixa entre os países do euro, bem como da União Europeia (UE). A Letónia e Eslováquia foram os países na ponta oposta com a taxa de inflação mais elevada (3%).

Na UE, a inflação também baixou, de 1,6% para 1,4%, entre junho e julho. A inflação recuou em 15 países, estabilizou em dois e aumentou em 11.

O maior contributo para a taxa de variação homóloga veio do setor dos serviços, indica o Eurostat.

No final de julho, o Banco Central Europeu (BCE) sinalizou uma mudança de discurso, garantindo que está pronto a avançar com estímulos adicionais, perante tensões comerciais, riscos associados ao Brexit, uma inflação anémica e a desaceleração económica.

Evolução do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (%)

Fonte: Eurostat

(Notícia atualizada)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Inflação na Zona Euro recua para 1% em julho. Portugal tem a taxa mais baixa e a única negativa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião