Empresas de transporte retomam venda de passes para estudantes, mas suspensão pode voltar em outubro

Garantia do Governo que verba vai ser desbloqueada em setembro justifica decisão de retoma da venda de passes para estudantes e famílias carenciadas. Se Executivo falhar, suspensão volta em outubro.

As empresas que asseguram as obrigações de transporte público vão retomar a venda dos passes 4_18, sub23 e social+ com desconto, depois do Ministério do Ambiente e Transição Energética (MATE) ter assegurado à Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP) que os sete milhões de euros em dívida serão saldados no início de setembro.

Este foi um caso que se desenvolveu de forma acelerada ao longo de esta segunda-feira. Ao final da manhã a TSF noticiou que as empresas tinham decidido suspender a venda destes passes, já que o Governo deve indemnizar as empresas mensalmente pelos descontos que são obrigados a praticar nestes títulos — 25% face ao valor de venda ao público –, não o tendo feito desde o início do ano. Pouco depois da denúncia desta dívida, veio a público assegurar que tudo seria resolvido a 5 de setembro. Agora, a ANTROP anuncia que suspende a suspensão da venda destes passes.

“Na sequência da tomada de posição da ANTROP no sentido da suspensão imediata da venda dos passes 4_18, sub23 e social+ com desconto, até que o Governo proceda à aprovação da Resolução do Conselho de Ministros (RCM), possibilitando o pagamento do valor em dívida aos Operadores de Transporte, verba que ultrapassa já os 7 milhões de euros, o Governo veio formalmente garantir à ANTROP a aprovação da referida RCM na próxima reunião de Conselho de Ministros a realizar no próximo dia 5 de setembro”, diz a ANTROP em comunicado agora divulgado.

Desta forma, a “ANTROP aceita retomar, de imediato, a venda dos referidos passes com o desconto respetivo”, aponta o comunicado. Contudo, e caso o Governo falhe em cumprir, “as empresas retomarão a suspensão da venda dos passes referentes ao mês de outubro”, garante a associação.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas de transporte retomam venda de passes para estudantes, mas suspensão pode voltar em outubro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião