Wall Street abre em alta com otimismo sobre guerra comercial

Os investidores continuam otimistas com a possibilidade de as duas superpotências se sentarem à mesa para negociarem um acordo comercial, apesar de os EUA continuarem a avançar com novas taxas.

A Bolsa de Nova Iorque abriu esta sexta-feira em alta, valorizando sobre os ganhos superiores a 1% registados na sessão de quinta-feira, com os investidores ainda otimistas quanto à possibilidade de os Estados Unidos e a China se sentarem à mesa das negociações para resolverem a guerra comercial que dura há dois anos e meio.

O índice industrial Dow Jones abriu a valorizar 0,55%, o índice alargado S&P 500 com ganhos de 0,52% e o índice tecnológico Nasdaq 0,54%.

Os Estados Unidos deram mais um passo formal para aumentar de 25% para 30% nas taxas aduaneiras sobre 250 mil milhões de dólares de importações chinesas a partir de 1 de outubro, com a entrada do processo e abertura do processo de discussão pública.

No entanto, os investidores continuam otimistas de que as duas superpotências se vão sentar à mesa para negociar antes disso, ainda em setembro.

A motivar o otimismo dos investidores ainda estão as palavras do porta-voz do ministro do Comércio chinês. Gao Feng disse esta quinta-feira que espera que os Estados Unidos façam o necessário para que as negociações aconteçam no próximo mês e que os dois governos têm mantido a comunicação desde a reunião de julho.

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Munchin, também havia dito que a administração norte-americana estava a contar com a viagem da delegação chinesa para Washington durante o mês de setembro para a reunião agendada.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street abre em alta com otimismo sobre guerra comercial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião