Governo lança Revive Natureza com 96 imóveis. Alguns são antigas casas de guardas florestais

O Governo vai lançar o Revive Natureza, um programa que pretende reabilitar imóveis do Estado, alguns dos quais antigas casas dos guardas florestais.

Três anos depois de ter lançado o Programa Revive, com mais de 30 imóveis inscritos, o Governo vai agora avançar com o Revive Natureza. São 96 imóveis pertencentes ao Estado, alguns dos quais foram habitação de antigos guardas-florestais.

Os imóveis identificados pelo Governo estão inseridos em “localizações notáveis”, como por exemplo baldios, e destacam-se pelas “características e património cultural que dispõem”, disse o ministro da Economia esta quinta-feira, em conferência de imprensa após Conselho de Ministros.

A lista é constituída, na sua maioria, por antigas casas de guardas florestais e antigos postos fiscais. Trata-se de “pequenos imóveis de baixo valor” e a “forma de exploração será mais reduzida”, continuou o ministro.

O processo do Revive Natureza será diferente do Revive, disse Pedro Siza Vieira, adiantando que os imóveis serão integrados num Fundo Imobiliário Especial, que vai promover a sua reabilitação e exploração turística, através de concursos, que começarão a ser lançados no início do próximo ano. “O fundo terá capacidade financeira para apoiar o financiamento dessa recuperação”, acrescentou o ministro.

Embora não tenha sido revelada a lista, Siza Vieira adiantou que o objetivo do Revive Natureza é o de “valorização e criação de emprego nas pequenas comunidades”. O programa já tem vindo a ser falado há vários meses, tendo o lançamento estado previsto para o início deste ano, mas só agora deu os primeiros passos.

(Notícia atualizada às 13h37 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo lança Revive Natureza com 96 imóveis. Alguns são antigas casas de guardas florestais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião