Revive adjudica Quartel do Carmo à Lux Mundi. Novo hotel vai custar 7,5 milhões

A Lux Mundi, que explora hotéis em Lisboa, Porto, Évora e Fátima, vai ficar com a concessão do Quartel do Carmo, nos Açores, por 50 anos. Investe 7,5 milhões para construir hotel de 4 estrelas.

Negócio fechado. Está concluído o concurso público para a adjudicação do Quartel do Carmo, na Horta (Açores), ao abrigo do Programa Revive. A empresa vencedora foi a Lux Mundi, que explora unidades hoteleiras em Lisboa, Porto, Évora e Fátima, anunciou o Governo, em comunicado.

“O investimento estimado para a recuperação do imóvel é de 7,5 milhões de euros”, refere a nota do gabinete do ministro Adjunto e da Economia. O Quartel do Carmo, cujo início da construção remonta ao século XVII, como Convento da Ordem das Carmelitas, vai ser adaptado a hotel. Terá quatro estrelas e abertura prevista para 2021.

“O imóvel situa-se num planalto da cidade da Horta, com vista privilegiada sobre o porto e tendo como horizonte o mar e a ilha do Pico”, refere a nota do Governo. “No século XX, foi adaptado ao uso militar para acolher a Companhia de Infantaria da Horta, tendo sido nessa altura sujeito a obras de recuperação significativas”, recorda.

O Quartel do Carmo será, assim, concessionado por 50 anos, para “exploração para fins turísticos”, sendo o oitavo concurso concluído num total de 33 imóveis inscritos no Revive. O objetivo passa por “valorizar e recuperar o património sem uso”.

Convento do Carmo em vias de adjudicação. Forte da Ínsua arranca segunda-feira

O Governo anunciou também que o concurso relativo ao Convento do Carmo, em Moura, também se encontra “em fase de conclusão”. O Executivo encontra-se a analisar “duas propostas”. Em contrapartida, vai ser lançado na segunda-feira o concurso para a concessão do Forte da Ínsua, em Caminha.

“Até ao momento foram lançados 17 concursos no âmbito do Revive. Atualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, e do Castelo de Vila Nova de Cerveira”, sublinha o Governo.

Na calha estão também os concursos de adjudicação relativos ao Mosteiro de Travanca (Amarante), Santuário do Cabo Espichel (Sesimbra) e Forte da Barra de Aveiro (Ílhavo), conclui a nota.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revive adjudica Quartel do Carmo à Lux Mundi. Novo hotel vai custar 7,5 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião