Verbas no Museu das Descobertas desviadas para o Palácio da Ajuda

  • ECO
  • 10 Setembro 2019

As obras no Palácio Nacional da Ajuda vão custar mais do que o inicialmente previsto, levando o Governo a ir buscar verbas a outros projetos, tais como as do Pólo Descobrir.

Os 15 milhões de euros previstos inicialmente para as obras no Palácio Nacional da Ajuda afinal não chegam. De acordo com o Público (acesso condicionado), o projeto vai custar quase o dobro face ao previsto e, por isso, o Governo vai buscar o montante que falta às verbas que estavam destinadas para as obras no Museu das Descobertas.

Três anos depois da primeira apresentação pública, o projeto de obras para o Palácio Nacional da Ajuda está agora orçamentado em 29,7 milhões de euros — 26,5 milhões em obras e 3,2 milhões em arranjos na Calçada da Ajuda, refere numa proposta que a Câmara de Lisboa aprovou no fim de julho e que será esta terça-feira debatida na assembleia municipal.

A principal fonte de financiamento destes trabalhos — que visam rematar a fachada ocidental e instalar ali o tesouro da casa real portuguesa — é o Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa, alimentado pela taxa turística sobre as dormidas na capital.

Mas para as obras na Ajuda estão também destinados 18,2 milhões de euros da taxa turística, o que representa um reforço a rondar os dez milhões face ao orçamento inicial, diz o Público. Além disso, também a Associação de Turismo de Lisboa (ATL) aumentou o seu investimento direto na obra, passando de cinco para 7,5 milhões. Apenas o montante que provém do Ministério da Cultura não se alterou: continuam a ser quatro milhões.

Esta derrapagem nos custos das obras vai prejudicar outros projetos, tais como as obras no Museu das Descobertas. Os projetos ligados a este monumento ficaram praticamente sem as verbas que lhe estavam destinadas. O Pólo Descobrir — núcleo museológico em forma de nau — tinha uma dotação inicial de 5,2 milhões, mas recebeu apenas 283 mil euros, já executados.

Após a publicação desta notícia, a Câmara de Lisboa (CML) emitiu uma nota de esclarecimento, onde afirma que “continua totalmente empenhada em assegurar a criação do Museu da Descoberta, não existindo qualquer abandono ou secundarização do projeto”.

“Quando o futuro Museu da Descoberta estiver em fase de execução mais avançada, nomeadamente, em fase de obra, naturalmente que verá alocadas as verbas necessárias“, continua o documento.

(Notícia atualizada às 11h36 com reação da Câmara de Lisboa)

Comentários ({{ total }})

Verbas no Museu das Descobertas desviadas para o Palácio da Ajuda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião