Retalho e BCP tiram o tapete a Lisboa. Bolsas europeias avançam de olho na Fed

O PSI-20 encerrou a perder mais de 1%, condicionado pelo recuo da Jerónimo Martins, Sonae, e do BCP. Os pares europeus fecharam no verde.

A bolsa nacional encerrou no vermelho e em contraciclo com as pares europeias, que se mostraram expectantes face à decisão da Fed relativamente aos juros. O PSI-20 desvalorizou mais de 1%, com o peso das perdas das retalhistas e do BCP.

O índice bolsista nacional perdeu 1,28%, para os 4.991,75 pontos, com 13 títulos no vermelho, três em alta e dois inalterados: Corticeira Amorim e Ibersol. O índice europeu Stoxx 600 somou 0,1%, num dia em que os investidores estão de olhos no resultado da reunião da Fed.

A expectativa é que, esta tarde, o líder da Fed, Jerome Powell, anuncie um corte de 25 pontos base dos juros diretores. Ainda assim, a certeza não é absoluta e as preocupações continuam a ser muitas, entre elas o crescimento global e a escalada da guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo (EUA e China).

Na praça lisboeta, as retalhistas foram a principal referência negativa. As ações da Sonae recuaram 3,48%, para os 84,5 cêntimos, enquanto as da Jerónimo Martins perderam 2,65%, para os 15,69 euros. De salientar que a Bernstein iniciou a cobertura dos títulos da dona do Pingo Doce com classificação de “baixo desempenho” e um preço-alvo de 12,5 euros. Esse valor está 20% abaixo da cotação de fecho da Jerónimo Martins nesta sessão.

A pesar no rumo da praça lisboeta esteve ainda o BCP que viu os seus títulos deslizarem 2,68%, para os 20 cêntimos.

Em contraciclo, destaque para a Galp Energia e EDP. As ações da petrolífera avançaram 0,55%, para os 13,705 euros, em contraciclo com as cotações do petróleo que aliviavam após o disparo recente de 15%. Já as ações da EDP perderam 0,46%, para os 3,495 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Retalho e BCP tiram o tapete a Lisboa. Bolsas europeias avançam de olho na Fed

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião