Lisboa no vermelho. Jerónimo Martins pressiona

Na última sessão da semana, Lisboa acordou abaixo da linha de água, com a Jerónimo Martins a pressionar. Apenas quatro cotadas estão em terreno positivo.

A praça lisboeta começou a última sessão da semana abaixo da linha de água, contrariando a tendência positiva registada nas demais praças do Velho Continente. Das 18 cotadas nacionais, apenas quatro estão no verde. A pesar sobre a bolsa nacional, está a Jerónimo Martins, cujos títulos estão a recuar quase de 1%.

O índice de referência nacional está a recuar 0,18% para 5.030,73 pontos. O PSI-20 contraria, assim, a tendência que está a marcar a negociação nas demais praças europeias, esta manhã, com o Stoxx 600 a subir 0,2%, o alemão Dax a valorizar 0,07% e o espanhol Ibex a avançar 0,03%.

Por cá, os títulos da Jerónimo Martins estão a pesar sobre a praça lisboeta, tendo já recuado mais de 1%, esta manhã. Conseguiram entretanto recuperar algum gás e desvalorizaram agora 0,88% para 15,695 euros.

No vermelho, destaque também para a EDP Renováveis. As ações da empresa liderada por Manso Neto também já perderam mais de 1% esta manhã, mas estão agora a desvalorizar apenas 0,41% para 9,82 euros. Já os títulos da empresa liderada por António Mexia estão a avançar 0,40% para 3,52 euros. No mesmo setor, as ações da Galp Energia estão a perder 0,18% para 13,8 euros.

A protagonizar as maiores perdas registadas esta manhã está a Corticeira Amorim, cujos títulos estão a cair 1,49% para 9,91 euros.

Em terreno positivo, a Sonae está a ver os seus títulos subirem 0,46% para 0,87 euros e a Nos está a ver as suas ações somarem 0,29% para 5,1250 euros. No arranque da última sessão da semana, os títulos do BCP já estiveram presos da linha de água, mas valorizaram agora 0,20% para 0,2048 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa no vermelho. Jerónimo Martins pressiona

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião