É em Nova Iorque que está a nascer o maior edifício residencial do mundo. Central Park Tower fica concluído em 2020

Os primeiros dos 179 luxuosos apartamentos do Central Park Tower já começaram a ser vendidos. Preços arrancam nos 6,3 milhões e vão até aos 57 milhões de euros.

É junto ao famoso Central Park, em Nova Iorque, que está a nascer o maior edifício residencial do mundo. A Central Park Tower deverá estar concluída já no próximo ano, com uma altura de cerca de 500 metros. Os primeiros apartamentos já estão à venda e os preços chegam aos 63 milhões de dólares (57 milhões de euros).

“É um feito maravilhoso, inacreditável”. As palavras são de Anthony Mannion, da Lendlease, uma das empresas envolvidas na construção deste edifício, localizado na West 57th Street e inserido na Billionaires’ Row, uma zona de arranha-céus luxuosos em Manhattan. Embora só fique concluído no próximo ano, o edifício chegou esta semana à altura final: 472 metros.

Uma vez terminada, a torre vai contar com 179 apartamentos de luxo, para além de uma loja da Nordstrom com sete andares e um Central Park Club com quase 5.000 metros quadrados exclusivos para os residentes. E as habitações já estão à venda: um T2 com 196 metros quadrados começa nos 6,3 milhões de euros, enquanto um T5 com 657 metros quadrados custa 57 milhões de euros.

Subir de elevador até ao topo deste arranha-céus — 133.º andar — demora cerca de dez minutos e, uma vez concluída a obra, o elevador irá atingir uma velocidade de cerca de 610 metros por minuto, diz o Business Insider (conteúdo em inglês).

“É possível ver todos os sítios, em todas as direções”, disse Gary Barnett, fundador e presidente da Extell Development, responsável pelo edifício, durante a cerimónia de apresentação. “É possível ver todo o horizonte de Manhattan à noite, sem ninguém a tapar as vistas”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É em Nova Iorque que está a nascer o maior edifício residencial do mundo. Central Park Tower fica concluído em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião