Casa de Pinho em Nova Iorque terá sido comprada com dinheiro do saco azul do GES

  • ECO
  • 30 Setembro 2019

“Pinho reside em Nova Iorque, num apartamento em nome da sociedade offshore por si controlada, adquirido por cerca de um milhão de euros provenientes da sua avença mensal do GES/BES", diz o despacho.

Manuel Pinho comprou um apartamento de luxo em Nova Iorque, quando foi ministro da Economia de José Sócrates, e terá sido com a avença mensal de 15 mil euros que alegadamente recebeu, entre março de 2005 e julho de 2009, do Grupo de Espírito Santos (GES) que conseguiu pagar o imóvel, avança esta segunda-feira o Correio da Manhã (acesso pago).

Os procuradores ligam pagamento por saco azul do GES ao dinheiro gasto na compra do apartamento de luxo no Edifício Platinum, perto da Broadway, em Nova Iorque. “O arguido Manuel Pinho reside em Nova Iorque, num apartamento em nome da sociedade offshore por si controlada Blackwade Holding Limited, adquirido por cerca de um milhão de euros provenientes da sua avença mensal do GES/BES”, então liderados por Ricardo Salgado, refere o despacho dos procuradores Casimiro Nunes e Hugo Neto, citado pelo Correio da Manhã e que foi apresentado a 10 de setembro ao ex-ministro da Economia.

A Blackwade, proprietária do imóvel que pertence a Manuel Pinho, tem sede nas Ilhas Virgens Britânicas. O imóvel custou mais de 1,24 milhões de dólares (1,13 milhões de euros) em junho de 2010. E o dinheiro usado para comprar a casa terá sido transferido através de duas offshores: Mesete II e Tartaruga Foundation, ambas controladas pelo ex-ministro, para a Blackwade. E seria para estas offshores que a Espírito Santo Enterprises fazia as transferências mensais de 15 mil euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Casa de Pinho em Nova Iorque terá sido comprada com dinheiro do saco azul do GES

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião