Nove em cada 10 empreendedores portugueses voltaria a fundar uma empresa

O estudo do grupo alemão Metro revela que a maioria dos empreendedores em Portugal voltaria a fundar uma empresa, apesar de recearem instabilidade das receitas e de considerarem os impostos "penosos".

91% dos empreendedores nacionais voltariam a fundar negócios novamente, apesar de 39% ter receio da instabilidade das receitas e 45% considerar que o pagamento de impostos é “muito penoso” em Portugal. Estes são os resultados do estudo do grupo alemão Metro sobre o mercado português, a propósito do “Dia do negócio próprio“, que assinala esta terça-feira.

Segundo o Metro, estes dados mostram “a importância que estes negócios locais têm para muitos consumidores, de forma a manter o seu próprio modo de vida.” O estudo confirma que um quarto dos portugueses gosta de comprar em negócios independentes: 26% dos consumidores inquiridos confirma que os negócios próprios têm importância no sentido de manterem o estilo de vida que mais desejam”.

“Especialmente nos primeiros dois anos após o início do mesmo, é importante estarem conscientes do caminho que têm pela frente. Durante esse mesmo período, os empreendedores têm de lidar analítica e estrategicamente com os fundos disponíveis e gerir o consumo dos recursos”, explica Christoph Hienerth, professor da Beisheim School of Management em Vallendar, Alemanha.

Fatores de sucesso dos negócios próprios

Para os trabalhadores por conta própria, os fatores de sucesso são o serviço, qualidade e sustentabilidade. Em matéria de sustentabilidade, 54% dos portugueses considera-o um “critério de decisão importante”. Quase metade (47%) também afirma que a qualidade “é uma das principais razões que os leva a preferir adquirir produtos e serviços provenientes de empresas independentes”.

Um quarto dos portugueses assegura que prefere comprar em empresas geridas pelos proprietários, em vez de se dirigir às grandes cadeias. 70% dos consumidores portugueses afirma que prefere dirigir-se a cabeleireiros e barbearias geridas pelos proprietários, seguindo-se os floristas e os cafés. De acordo com o estudo, os negócios próprios “satisfazem o desejo de individualidade e diversidade na região“. Quase um em cada dois consumidores é da opinião de que “são os negócios próprios que oferecem os melhores serviços para manter o seu estilo de vida individual.”

“Dia do Negócio Próprio”

A campanha “Dia do negócio próprio” foi lançada em 2016, em Portugal em mais 25 países, pelo grupo Metro, da qual a Makro é filial, para dar visibilidade às empresas independentes. “O nosso objetivo é o foco na diversidade e na individualidade dos negócios próprios, visto que estes têm uma grande importância para o dia-a-dia das regiões e tudo o que os rodeia a nível local”, observa David Antunes, CEO da Makro Portugal.

“Muitas vezes, os empreendedores que fundam o seu próprio restaurante, carecem da atenção necessária no início. O “Dia de negócio próprio” ajuda-os em grande medida a criar notoriedade para os seus conceitos individuais”, sublinha Rute Costa, digital marketing manager da Makro Portugal. Para assinalar o “Dia do negócio próprio”, esta terça-feira, mais de três mil negócios em Portugal vão disponibilizar descontos e ofertas especiais.

Comentários ({{ total }})

Nove em cada 10 empreendedores portugueses voltaria a fundar uma empresa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião