Portugal sobe 15 posições e é o terceiro melhor destino do mundo, segundo a Condé Nast Traveler

  • ECO
  • 9 Outubro 2019

Portugal ocupava o 18.º lugar do ranking da revista de viagens norte-americana em 2018. Num ano subiu, 15 posições, passando para o terceiro lugar, onde há apenas três países europeus no top 20.

O que é nacional é bom, já diz o velho ditado. Os leitores da Condé Nast Traveler votaram e está decidido: Portugal é o terceiro melhor destino do mundo. Em apenas um ano, Portugal subiu 15 posições no ranking da revista de viagens norte-americana, passando do 18.º lugar para o terceiro e apenas ultrapassado por Indonésia e pela Tailândia.

A edição de novembro da Condé Nast Traveler distingue os melhores destinos a nível mundial, assim como, os melhores hotéis, cidades, ilhas, cruzeiros e ‘spas’ com base na votação de cerca de 600 mil pessoas registadas. A acompanhar Portugal no top 20 dos melhores destinos constam apenas dois países europeus: a Grécia, em sétimo lugar, e Itália, em nono. Há, desta forma, uma grande reviravolta, já que no ano passado Itália foi eleita o melhor destino mundial, justamente à frente da Grécia, escreve o Jornal Económico.

Portugal continua a marcar pontos na área do turismo e não é só como destino mundial. O país luso ficou também bem qualificado, no que toca ao top dos spas. O Vila Vita Parc, em Porches, no Algarve, arrecadou o terceiro lugar, ao passo que o Six Senses Douro Valley, em Lamego, ocupou a 13.ª posição.

Há cerca de 30 anos que a Condé Nast Traveler divulga estas votações aos leitores. Este ano tem sido bastante frutífero para o país das quinas, já que o país conta com 66 nomeações para os World Travel Awards, considerados os Óscares do Turismo. A final será em Mascate, Omã, a 26 de novembro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal sobe 15 posições e é o terceiro melhor destino do mundo, segundo a Condé Nast Traveler

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião