Unicef passa a aceitar donativos em criptomoedas

  • ECO
  • 9 Outubro 2019

Unicef junta-se a outras instituições de ajuda humanitária que já aceitam doações em moedas virtuais, incluindo a Cruz Vermelha dos EUA e o Programa Mundial de Ajuda Alimentar das Nações Unidas.

Quer doar dinheiro à Unicef? Até agora, tinha de enviar euros, dólares ou outra moeda de qualquer país a partir da sua conta bancária, mas isso vai mudar. É que a Unicef vai passar a aceitar donativos em criptomoedas, como a bitcoin ou a ether, avança o The Guardian (acesso livre), nesta quarta-feira.

O novo Fundo de Criptomoedas da Unicef, é o mais recente de uma série de esforços que têm vindo a ser feitos no sentido de abrir as organizações não-governamentais a outras fontes de donativos e à poupança de custos com transferências e intermediários, cobrados pelas instituições financeiras tradicionais, especialmente nas transferências de grandes montantes para outros continentes.

Christopher Fabian, conselheiro da Unicef Innovation, diz que a decisão de incorporar donativos em criptomoedas é uma forma de preparar a organização para o futuro, ao mesmo tempo que são salvaguardados os sistemas de doadores existentes. “Vemos isso como uma parte do processo de aprendizagem pelo qual precisamos de passar de forma a nos prepararmos para a próxima década“, disse Fabian.

Para as organizações de ajuda internacional, como é o caso da Unicef, as criptomoedas tornam mais fácil o processo de acompanhamento das doações, bem como permitem aos doadores o acompanhamento da aplicação do dinheiro que é usado.

A Unicef junta-se assim a outras instituições de ajuda humanitária que já começaram a aceitar doações em moedas virtuais, incluindo a Cruz Vermelha dos EUA e o Programa Mundial de Ajuda Alimentar das Nações Unidas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Unicef passa a aceitar donativos em criptomoedas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião