Governo passa a ter quatro ministros de Estado. Siza Vieira sobe a número 2

António Costa já entregou a lista de ministros ao Presidente da República. A lógica face ao atual Governo é diferente do que se passou na legislatura que agora termina.

Pedro Siza Vieira vai manter a pasta da Economia mas ganha peso político no Governo de António Costa ao surgir como número 2 na hierarquia do Executivo. Costa promove quatro ministros a ministro de Estado. Além de Siza, Mário Centeno, Augusto Santos Silva e Mariana Vieira da Silva são ministros de Estado.

No Governo atual, Costa tinha optado por ser não ter ministros de Estado. Mas no próximo, optou por ter quatro. Pedro Siza Vieira, que será ministro da Economia e da Transição Digital, assume assim um peso político reforçado — participando no núcleo duro do Governo e assumindo a condução do Conselho de Ministros na ausência de Costa.

Siza Vieira começou por ser ministro Adjunto do primeiro-ministro, tendo acumulado depois esta função com a pasta da Economia. Passa de sétimo da hierarquia para número dois. Nesta legislatura é de novo promovido, passando à frente de Augusto Santos Silva, que será de novo ministro dos Negócios Estrangeiros e que, apesar de ser o número 2 na anterior legislatura, fica agora sem esse lugar.

No entanto, também sobe a ministro da Estado. Mário Centeno, que com os resultados nas finanças públicas que foram a principal bandeira do PS nas legislativas, deu a vitória aos socialistas, é agora promovido também a ministro de Estado.

Mariana Vieira da Silva, uma das pessoas de maior confiança do primeiro-ministro, mantém a pasta da Presidência, perdendo a Modernização Administrativa que se junta à Administração Pública para formar um ministério. Mas sobe a ministra da Estado.

(Notícia atualizada às 19h26 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo passa a ter quatro ministros de Estado. Siza Vieira sobe a número 2

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião