EDP produz menos energia após “forte redução” de geração nas barragens

  • Lusa
  • 16 Outubro 2019

A produção de eletricidade da empresa liderada por António Mexia caiu 11% até setembro, para 48.165 gigawatts/hora (GW/h) devido a uma “forte redução” de 41% na produção hídrica.

A produção de eletricidade da EDP caiu 11% até setembro, para 48.165 gigawatts/hora (GW/h) devido a uma “forte redução” de 41% na produção hídrica, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No terceiro trimestre, a produção reduziu-se em 10%, de acordo com os dados publicados pelo grupo, atingindo os 14.356 (GW/h).

Pelo contrário, “a produção eólica global aumentou 6%”, influenciada pelas somas de capacidade nos últimos 12 meses, bem como por “recursos eólicos estáveis e a desconsolidação do portefólio eólico na Europa”, avançou a empresa, numa nota com dados previsionais de operação.

Na Península Ibérica, a produção hídrica caiu 47%, avançou o grupo, um valor que “reflete a baixa hidraulicidade em Portugal que se situou 39% abaixo da média” até setembro, face ao período homólogo, em que estava 20% acima da média.

No mesmo comunicado, a EDP revelou que o volume de eletricidade distribuído em Portugal nos primeiros nove meses do ano se reduziu em 1,8% quando comparado com o período homólogo “penalizado por temperaturas amenas”.

Já em Espanha, a queda foi mais drástica, de 10,6% no volume de eletricidade distribuído, devido a uma grande redução “por parte de um grande consumidor industrial”, ressalvou o grupo.

A EDP informou ainda que “o volume de eletricidade distribuída aumentou 2,6% no Brasil, suportado pela melhoria do contexto económico e pelo efeito temperatura”.

Em setembro, a capacidade instalada da elétrica atingiu os 26,3 gigawatts (GW) “reflexo da desconsolidação de 997 MW [megawatts] de eólica na Europa decorrente da venda da nossa participação de 51% nestes ativos”, explicou o grupo.

Nos primeiros nove meses do ano, foram colocados em operação “344 MW de capacidade eólica”, sendo que “estavam 834 MW em construção”.

De acordo com a EDP, “adicionalmente, em julho de 19 foi anunciada a venda de 137 MW do parque eólico ‘Babilónia’ no Brasil, com encaixe financeiro previsto” para o quarto trimestre deste ano.

A elétrica deu ainda conta do negócio de comercialização na Ibéria, que registou “um aumento de 0,7% do número de clientes de gás, enquanto o número de clientes de eletricidade está estável nos 5,27 milhões”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP produz menos energia após “forte redução” de geração nas barragens

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião