Fernando Negrão indicado para vice-presidente da Assembleia da República

  • ECO
  • 23 Outubro 2019

O Parlamento deverá ter como presidente Ferro Rodrigues e como vice-presidente Fernando Negrão.

O até aqui líder da bancada parlamentar do PSD, Fernando Negrão, vai ser indicado como vice-presidente da Assembleia da República, avança esta quarta-feira o Expresso. Para presidente do Parlamento, o grupo parlamentar do PS deverá aprovar a recandidatura de Ferro Rodrigues ao cargo, na reunião desta quinta-feira. Para a mesa vai ainda Duarte Pacheco que volta a ser escolhido para secretário da mesa da Assembleia, cargo que já desempenhava na anterior legislatura.

Fernando Negrão sucede a José Matos Correia, deputado do PSD que pôs um ponto final na sua carreira parlamentar na última legislatura. O social-democrata estava com um problema tendo em conta que Rui Rio anunciou que vai ser líder da bancada parlamentar pelo menos até fevereiro, data em que se realiza o congresso do PSD e no qual será decidida a sua recondução na liderança do partido, ou a passagem de testemunho a Luís Montenegro ou Miguel Pinto Luz que já anunciaram a sua candidatura.

O líder social-democrata sustentou que a sua “não recandidatura pode levar o partido a uma grave fragmentação”, que o país precisa de uma “liderança [no PSD] que defenda a social-democracia, no centro político”. Na mesma declaração, Rio anunciou que assumirá até ao congresso de fevereiro a liderança da bancada parlamentar por considerar que nesta função tem de estar alguém alinhado com a liderança do partido. O presidente que sair do congresso escolherá quem vai ficar à frente da bancada. “Assumirei eu próprio a liderança da bancada”, anunciou.

Até lá “não há reformas estruturais” para decidir, disse. Há programa de Governo e Orçamento do Estado, um palco que dará a Rio a possibilidade de se afirmar no Parlamento pela primeira vez como líder do maior partido da oposição.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fernando Negrão indicado para vice-presidente da Assembleia da República

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião