Bruxelas propõe corte de 50% na pesca de carapau nas águas continentais para 2020

  • Lusa
  • 24 Outubro 2019

Bruxelas propõe um corte de 50% na pesca do carapau em águas continentais portuguesas para as 46.659 mil toneladas. Além disso, as capturas de pescada e de linguado também deverão sofrer cortes.

A pesca do carapau em águas continentais portuguesas deve ser reduzida para metade, segundo a proposta apresentada esta quinta-feira pela Comissão Europeia dos limites de capturas para 2020, que inclui também cortes na pescada e no linguado.

Em relação ao carapau, Bruxelas propõe um corte de 50% nos totais admissíveis de capturas (TAC) na zona IX – as águas continentais portuguesas – para as 46.659 mil toneladas, seguindo a recomendação dos peritos em espécies pelágicas (que vivem em cardumes).

Também as capturas de pescada deverão sofrer um corte geral de 20% no próximo ano, de modo a manter as unidades populacionais (‘stocks’) em boa forma.

Para o linguado, a Comissão Europeia propõe uma redução de 40%, incluindo em águas nacionais, para a lagosta uma redução de 23% e de 20% para os TAC de solha.

A juliana (-10%) e o tamboril (-3%) são as espécies para as quais é recomendada uma redução mais ligeira nas capturas.

Por outro lado, tendo em conta a avaliação positiva dos ‘stocks’, Bruxelas aponta para um aumento de 30% nas capturas de arinca e de 12% nas de areeiro.

Os limites para a pesca de carapau nas águas dos Açores e Madeira são definidos por Portugal.

As propostas de Bruxelas serão debatidas, alteradas e adotadas em dezembro pelos ministros da Pesca da União Europeia, numa reunião normalmente caracterizada por uma ‘maratona negocial’.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bruxelas propõe corte de 50% na pesca de carapau nas águas continentais para 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião