Governo liberta 45,7 milhões de euros para renovar frota da STCP

  • ECO
  • 29 Outubro 2019

Custos relativos à renovação da frota e outros já aprovados nos anos de 2017, 2018 e 2019, que se encontram atualmente em curso, foram publicados esta terça-feira em Diário da República.

A STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto vai receber mais de 45,7 milhões de euros do Estado para renovar a frota. A assunção do pagamento de custos (já previstos e orçamentados) foi publicado esta terça-feira em Diário da República e o montante será atribuído ao longo dos próximos dois anos.

A passagem do capital da STCP do Estado para seis municípios (do Porto, Gaia, Matosinhos, Maia, Gondomar e Valongo) “determina que o Estado assume as obrigações inerentes ao pagamento dos custos relativos à renovação da frota e outros já aprovados nos anos de 2017, 2018 e 2019 que se encontram atualmente em curso e de acordo com o previsto nos planos de atividades e orçamento da STCP”, refere a publicação em DR.

O montante é definido através de portaria dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e do ambiente e transição energética. O investimento global, sem IVA, a executar nos anos de 2020 e 2021, ascende a 45.760.473,00 euros.

O valor é deduzido dos apoios europeus atribuídos no âmbito do POSEUR, no montante de 8.896.100,25 euros, bem como do autofinanciamento previsto pela STCP no Plano de Atividades e Orçamento de 2019 aprovado, no montante de 1.015.452,00 euros, até ao limite de 35.848.920,75 euros.

“A regularização das responsabilidades assumidas pelo Estado emergentes dos contratos, celebrados ou a celebrar, em execução dos investimentos abrangidos pela presente portaria é assegurada pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças por recurso a dotação orçamental inscrita no Capítulo 60 do Ministério das Finanças, devendo a STCP fornecer os respetivos contratos ou qualquer outra documentação relevante para o efeito”, acrescenta a portaria, que entra em vigor a 1 de janeiro de 2020.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo liberta 45,7 milhões de euros para renovar frota da STCP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião