Resultados não chegam para animar investidores. Impresa afunda 5% em Lisboa

Ações corrigem após o otimismo em relação às negociações entre China e EUA, levaram as bolsas europeias para máximos de 21 meses na última sessão. No PSI-20, todas as cotadas estão no vermelho.

Apesar dos máximos nas bolsas norte-americanas e de os resultados empresariais estarem a superar as expectativas, as praças europeias não espelham o otimismo. No início da sessão desta terça-feira, as principais bolsas abriram no vermelho, sendo que o português PSI-20 não é exceção.

O otimismo em relação às negociações entre China e EUA, levaram as bolsas europeias para máximos de 21 meses na segunda-feira. Nesta sessão, os mercados acionistas corrigem, com os investidores focados na época de resultados. O índice pan-europeu Stoxx 600 abriu a perder 0,05%, enquanto o alemão DAX desliza 0,02% e o francês CAC 40 cede 0,04%. A contrariar está o espanhol IBEX, que avança 0,04%.

Os resultados das empresas europeias que foram reportados até ontem não foram «desastrosos». Mesmo considerando que a fasquia colocada pelos analistas era relativamente baixa (aponta para uma flexão de 2,80% nos lucros das empresas do DJStoxx600), 52% das empresas têm reportado lucros superiores ao antecipado”, explicam os analistas do BPI.

O setor petrolífero foge à tendência devido à queda de mais de 20% da cotação do brent durante o terceiro trimestre. Mas excluindo este setor, as empresas europeias terão registado um incremento de 1% nos lucros. “Tal como na Europa, esta semana será particularmente intensa em termos de apresentação de resultados” no PSI-20, acrescentam os analistas do BPI.

Impresa afunda após duplicar lucros

Os olhos estão postos na Navigator, que vai apresentar resultados após o fecho da sessão. As estimativas do CaixaBank BPI Research apontam para uma diminuição de 18% nos lucros para 43 milhões de euros. A empresa é das que menos cai no PSI-20 e no setor do papel e pasta de papel. A Navigator desliza 0,12% para 3,29 euros por ação, enquanto a Altri afunda 1,2% e a Semapa 0,79%.

Os pesos pesados do índice negoceiam todos no vermelho, com a Galp Energia, o BCP, a Jerónimo Martins e a EDP a perderem entre 0,5% e 1%. Ainda assim, a cotada que mais cai é a F.Ramada, que afunda 2,5%. Sem nenhuma cotada no verde, o PSI-20 desvaloriza 0,64% para 5.074,23 pontos.

Fora do PSI-20, a Impresa reage aos resultados. O crescimento das audiências da SIC continua a puxar pelas contas da empresa, cujas receitas com chamadas de valor acrescentado quase duplicaram entre janeiro e setembro, o que ajudou o grupo de media a fechar estes nove meses com lucros de 2,9 milhões de euros. Apesar de o resultado líquido ter mais duplicado face ao período homólogo, as ações da Impresa afundam 5% para 0,2530 euros, a corrigir do ganho de 6% na última sessão.

Comentários ({{ total }})

Resultados não chegam para animar investidores. Impresa afunda 5% em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião