Tem 18 anos e quer viajar à borla pela Europa? Candidaturas ao programa #DiscoverEU já arrancaram

Os jovens selecionados podem viajar sozinhos ou acompanhados ou num grupo máximo de cinco pessoas durante um mês pela Europa. As candidaturas terminam a 28 de novembro.

A União Europeia (UE) abriu esta quinta-feira um novo período de candidaturas para que 20 mil jovens de 18 anos possam viajar gratuitamente pela Europa. A iniciativa pretende que os jovens tirem “partido da liberdade de circulação em toda a União Europeia”, aprofundem “conhecimentos sobre o património cultural e a história europeus” e conheçam “pessoas de toda o continente”, lê-se no site da DiscoverEU.

As candidaturas terminam dentro de 20 dias, a 28 de novembro. Para serem um dos contemplados, além de terem 18 anos e serem cidadãos de Estados-membros da UE, os jovens têm que submeter a sua candidatura no Portal Europeu da Juventude. Depois, um comité de avaliação vai decidir quem sãos os sortudos que irão partir à descoberta da Europa entre 1 de abril e 31 de outubro de 2020. Os candidatos serão informados em janeiro de 2020.

Os jovens selecionados podem viajar a título individual ou em grupo com o máximo de cinco pessoas. Por norma, o transporte utilizado será o comboio, em regime InterRail, mas também há outras modalidades, como o ferry, autocarro ou, “em casos excecionais” e sem não houver alternativa, o avião (como é o caso de jovens da Madeira e dos Açores), refere o regulamento do programa. Cada passe atribuído tem validade de um mês, e cada beneficiário pode escolher um passe flexível ou fixo.

Esta iniciativa permite ainda aos jovens participarem em eventos organizados durante a viagem e receber um diário, onde podem registar as suas experiências.

O programa DiscoverEU é uma iniciativa do Parlamento Europeu e foi criado em 2018. A UE garante que nas três rondas de candidaturas foram atribuídos 50 mil passes de viagens, que envolveram perto de 275 mil candidaturas. França e Itália são os países onde há maior número de candidatos. O orçamento previsto para 2020 deverá rondar os 25 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tem 18 anos e quer viajar à borla pela Europa? Candidaturas ao programa #DiscoverEU já arrancaram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião