Singles’ Day não é só na China. Worten, Auchan e Benfica são algumas das marcas que se renderam à loucura das promoções

O Dia dos Solteiros já não é só na China. Para além da AliExpress, muitas outras marcas renderam-se ao fenómeno das promoções com mega descontos neste dia 11.11. Descubra aqui algumas oportunidades.

A Worten foi uma das marcas portuguesas que se renderam ao Dia dos Solteiros. Abaixo, preparámos uma lista com outras oportunidades.Hugo Amaral/ECO

Está oficialmente aberta a temporada em que o consumo privado bate recordes. Nos últimos dias, algumas lojas têm vindo a lançar campanhas de descontos, mas é nesta segunda-feira, 11 de novembro, que o Dia dos Solteiros (Singles’ Day) dá o tiro de partida na corrida às compras do natal, e não só.

Porém, a mega promoção do Dia dos Solteiros, que ficou conhecida por Black Friday chinesa, já extravasou as fronteiras da China. À semelhança da “Black Friday”, que começou nos EUA e já é um dos dias com maior volume de vendas no retalho em todo o mundo, o evento chinês também já conquistou as marcas em Portugal.

Da Worten ao Auchan, e até à loja oficial do Benfica, conheça aqui algumas das marcas portuguesas, ou com presença em Portugal, que decidiram aproveitar a boleia do fenómeno do Dia dos Solteiros, que originalmente começou na AliExpress, a loja online detida pelo grupo Alibaba.

Worten

“I <3 pensar em mim. Single’s Day” é o mote da Worten para este Dia dos Solteiros. Milhões de chineses celebram neste “feriado não oficial” o facto de não terem par com ofertas de presentes a si mesmos, o que motiva a marca da Sonae a ir ainda mais além: “Estraga-te com mimos”, desafia, numa campanha anunciada na loja online da empresa.

Há oportunidades para todos os gostos na Worten: desde levar três jogos para a PlayStation e pagar dois, uma imitação dos AirPods da Apple com 46% de desconto e uma Nintendo Switch 18% mais barata do que a original, entre muitos outros produtos.

Pode consultar o catálogo aqui.

El Corte Inglés

A marca espanhola El Corte Inglés também está a surfar a onda com uma promoção de Dia dos Solteiros com “caprichos irresistíveis”. O produto “cabeça de cartaz” é o iPhone XS de 64 GB, que a marca está a vender por 879 euros, um preço que compara com os 1.179 euros fora da promoção.

Mas não é só de smartphones que se faz esta promoção. Neste dia 11.11, a lista de “caprichos” do El Corte Inglés tem ainda televisões, sofás, máquinas de café, sapatilhas e até um presunto pata negra.

Consulte o catálogo aqui.

Auchan

O Auchan está com descontos até 50% em “centenas de produtos” neste Dia dos Solteiros, sobretudo equipamentos eletrónicos, mas também eletrodomésticos e mercearia lá para casa.

Todas as categorias abrangidas pela campanha estão identificadas no catálogo especialmente desenhado pela marca para este dia. “O 11.11 é um dia de festejos em que as pessoas solteiras celebram o seu dia indo às compras”, informa a marca, que não esconde que “grande parte das lojas faz grandes promoções neste dia”.

Espreite aqui os descontos.

Benfica

O Benfica também não quis ficar de fora do Dia dos Solteiros e está a oferecer 22% de desconto em “mais de 400 produtos”.

Na loja online do clube, os adeptos podem consultar uma série de sugestões de roupa com branding do Benfica para mulher e para homem, mas também acessórios, como o relógio oficial de pulso do Benfica, por 62,39 euros.

Aproveite aqui as promoções.

Sephora

Os “produtos mais hot” à venda na Sephora estão com descontos de até metade do preço, promete a empresa, que garante que não são precisos cupões. É o Dia dos Solteiros, que a Sephora quer marcar com uma hashtag criada a pensar na ocasião: #WeSingle, e o mote “encontre o seu melhor match“.

A marca está a oferecer também 25% de desconto sobre o valor global de compras superiores a 90 euros.

Aceda à loja carregando aqui.

Douglas

O Dia dos Solteiros para a perfumaria Douglas começou no início do mês. A campanha com descontos significativos em perfumes para ele e para ela termina, assim, às 23h59 desta segunda-feira.

Entre o catálogo estão marcas bem conhecidas, como Hugo Boss e Giorgio Armani, Dolce&Gabanna ou Ralph Lauren.

Veja aqui as fragrâncias com desconto.

Phone House

Os descontos do Dia dos Solteiros também chegaram à Phone House, que prefere falar em valores concretos, em vez de percentagens.

O iPhone XS de 512 GB está 430 euros mais barato e custa 1.249,01 euros. O Apple Watch Series 4 tem um desconto de 31 euros e custa 439 euros. Mas também há produtos de outras marcas: o Samsung Galaxy S10+ de 128 GB está a ser vendido a 919,99 euros, menos 110 euros do que o preço original praticado pela loja.

Veja aqui se há algum negócio que lhe interesse.

Sacoor Brothers

Roupa, sapatos e acessórios para toda a família com descontos de até 40%. Esta é a proposta da Sacoor Brothers para este Dia dos Solteiros.

Há ofertas de vários tamanhos e para todos os gostos, pelo que o melhor mesmo é ver por si mesmo.

Consulte o catálogo na loja online.

Uma carta aos nossos leitores

Vivemos tempos indescritíveis, sem paralelo, e isso é, em si mesmo, uma expressão do que se exige hoje aos jornalistas que têm um papel essencial a informar os leitores. Se os médicos são a primeira frente de batalha, os que recebem aqueles que são contaminados por este vírus, os jornalistas, o jornalismo é o outro lado, o que tem de contribuir para que menos pessoas precisem desses médicos. É esse um dos papéis que nos é exigido, sem quarentenas, mas à distância, com o mesmo rigor de sempre.

Aqui, no ECO, estamos a trabalhar 24 horas vezes 24 horas para garantir que os nossos leitores têm acesso a informação credível, rigorosa, tempestiva, útil à decisão. Para garantir que os milhares de novos leitores que, nas duas últimas semanas, visitaram o ECO escolham por cá ficar. Estamos em regime de teletrabalho, claro, mas com muita comunicação, talvez mais do que nunca nestes pouco mais de três anos de história.

  • Acompanhamos a cobertura da atualidade, porque tudo é economia.
  • Escrevemos Reportagens e Especiais sobre os planos económicos e as consequências desta crise para empresas e trabalhadores.
  • Abrimos um consultório de perguntas e respostas sobre as mudanças na lei, em parceria com escritórios de advogados. Contamos histórias sobre as empresas que estão a mudar de negócio para ajudar o país
  • Escrutinamos o que o Governo está a fazer, exigimos respostas, saímos da cadeira (onde quer que ele esteja) ou usamos os ecrãs das plataformas que nos permitem questionar à distância.

O que queremos fazer? O que dissemos que faríamos no nosso manifesto editorial

  • O ECO é um jornal económico online para os empresários e gestores, para investidores, para os trabalhadores que defendem as empresas como centros de criação de riqueza, para os estudantes que estão a chegar ao mercado de trabalho, para os novos líderes.

No momento em que uma pandemia se transforma numa crise económica sem precedentes, provavelmente desde a segunda guerra mundial, a função do ECO e dos seus jornalistas é ainda mais crítica. E num mundo de redes sociais e de cadeias de mensagens falsas – não são fake news, porque não são news --, a responsabilidade dos jornalistas é imensa. Não a recusaremos.

No entanto, o jornalismo não é imune à crise económica em que, na verdade, o setor já estava. A comunicação social já vive há anos afetada por várias crises – pela mudança de hábitos de consumo, pela transformação digital, também por erros próprios que importa não esconder. Agora, somar-se-ão outros fatores de pressão que põem em causa a capacidade do jornalismo de fazer o seu papel. Os leitores parecem ter redescoberto que as notícias existem nos jornais, as redes sociais são outra coisa, têm outra função, não (nos) substituem. Mas os meios vão conseguir estar à altura dessa redescoberta?

É por isso que precisamos de si, caro leitor. Que nos visite. Que partilhe as nossas notícias, que comente, que sugira, que critique quando for caso disso. O ECO tem (ainda) um modelo de acesso livre, não gratuito porque o jornalismo custa dinheiro, investimento, e alguém o paga. No nosso caso, são desde logo os acionistas que, desde o primeiro dia, acreditaram no projeto que lhes foi apresentado. E acreditaram e acreditam na função do jornalismo independente. E os parceiros anunciantes que também acreditam no ECO, na sua credibilidade. As equipas do ECO, a editorial, a comercial, os novos negócios, a de desenvolvimento digital e multimédia estão a fazer a sua parte. Mas vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo de qualidade.

Em breve, passaremos ao modelo ‘freemium’, isto é, com notícias de acesso livre e outras exclusivas para assinantes. Comprometemo-nos a partilhar, logo que possível, os termos e as condições desta evolução, da carta de compromisso que lhe vamos apresentar. Esta é uma carta de apresentação, o convite para ser assinante do ECO vai seguir nas próximas semanas. Precisamos de si.

António Costa

Publisher do ECO

Comentários ({{ total }})

Singles’ Day não é só na China. Worten, Auchan e Benfica são algumas das marcas que se renderam à loucura das promoções

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião