Grupo Continental abre no Porto centro de desenvolvimento de tecnologias. Vai contratar 300 colaboradores

Continental escolheu o Porto para instalar o centro de desenvolvimento de tecnologia. O grupo pretende contratar 300 colaboradores nas áreas de software, serviços de engenharia e cibersegurança.

O Grupo Continental, que adquiriu recentemente uma fábrica de Antenas inteligentes em Vila Real, vai abrir no Porto um centro de engenharia, a Continental Engineering Services (CES), e empregar 300 colaboradores. A CES desenvolve e fornece produtos, serviços de integração e de consultaria.

O processo de recrutamento já está em aberto e as vagas estão disponíveis na página de LinkedIn da empresa, que procura profissionais formados em software, serviços de engenharia e cibersegurança. “O foco são jovens licenciados em diferentes áreas da engenharia”, confirma ao ECO fonte da Continental Mabor.

“Estamos orgulhosos por expandir as nossas atividades para a cidade do Porto e construir uma equipa de excelência. Acreditamos na qualidade dos engenheiros portugueses e estamos confiantes que esta nova localização será o pilar do nosso sucesso, no futuro”, destaca Jochen Diehm,
diretor da Continental Engineering Services, Portugal.

“Com esta empresa abrimos uma porta aos jovens licenciados em Portugal, pois todos os colaboradores da CES são altamente qualificados”, referiu em comunicado Pedro Carreira, presidente do conselho de administração da Continental Mabor.

Pedro Carreira acrescenta ainda que “a instalação desta nova empresa em Portugal é mais um passo significativo” na estratégia da empresa alemã, dos últimos anos, de “trazer para Portugal outras áreas de negócio do Grupo Continental”.

A cerimónia de inauguração das instalações da empresa no Porto está prevista para o início do próximo ano.

(Notícia atualizada às 11H31 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo Continental abre no Porto centro de desenvolvimento de tecnologias. Vai contratar 300 colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião