Generali quer estar no top 3 dos seguros de arte em 2024

  • ECO Seguros
  • 14 Novembro 2019

A seguradora italiana quer ser protagonista de um segmento de mercado que cresce 6% ao ano e atingirá 2,3 mil milhões de euros em 2024. Uma campanha de comunicação disruptiva marca o lançamento.

A Generali apresentou a Arte Generali, segundo a empresa, trata-se de “uma inovadora unidade de negócio global que se posiciona como o parceiro de seguros dos colecionadores de arte” e que aspira a ser um dos três maiores players globais no segmento de seguros de arte nos próximos cinco anos.

Esta nova unidade é inspirada na vontade do Grupo de reforçar a sua proposta de valor para os clientes – como parte integrante do seu pilar estratégico “crescimento lucrativo” – ao entrar no segmento de seguros de arte. A Generali estima que o valor global do segmento arte vai aumentar mais de 20% entre 2017 e 2022 e que as receitas dos prémios de seguro neste segmento cresçam 6% ao ano a nível mundial, atingindo 2,3 mil milhões de dólares.

Campanha da Arte Generali: Fotografado por Oliviero Toscani, o artista italiano Maurizio Cattelan, satiriza com o roubo da retrete de ouro de uma exposição em Inglaterra em setembro último. A peça é de sua autoria e fazia parte da instalação “América”.

A seguradora pretende oferecer “soluções inovadoras e personalizáveis que vão muito além da cobertura de seguro para peças de arte, joalharia e outros bens de valor”, afirma. A oferta Arte Generali inclui, por exemplo, um leque de serviços de assistência para restauração, transporte e armazenamento, bem como ferramentas digitais com recente tecnologia.

A nova unidade de negócio está sediada em Munique, na Alemanha, sendo que este hub central apoia a subscrição local de seguros e equipas de gestão de contencioso. Tem como CEO Jean Gazançon, um licenciado em Ciências Politicas uma vasta experiência internacional na Europa, Japão e América Latina no campo das artes, seguros de arte e gestão de fortunas.

Para Philippe Donnet, CEO do Grupo Generali, esta nova unidade é “um marco na execução do Generali 2021 (a designação do plano estratégico). Com ela damos início a um novo capítulo na história da Generali na indústria seguradora”, acrescentando que “a Arte Generali repercute fortemente a experiência, legado e ADN da Generali e pode alicerçar-se na liderança do Grupo em termos de performance técnica seguradora e na sua tradição de mecenas das artes e cultura”.

Já Giovanni Liverani, CEO da Generali Alemanha e membro do Group Management Committee, afirma: “A Arte Generali vem complementar a oferta de serviços da Generali em todas as geografias e oferecer soluções e serviços inovadores para responder às mais altas expectativas enquanto explora um mercado em crescimento”.

Liverani referiu-se ainda “ao apoio de artistas de renome mundial como Oliviero Toscani e Maurizio Cattelan como embaixadores desta iniciativa”. Toscani foi o fotógrafo em que o artista contemporâneo Maurizio Cattelan satiriza o roubo da retrete em ouro, parte de uma instalação por si realizada denominada “America”, de um castelo em Inglaterra no passado mês de setembro.

Comentários ({{ total }})

Generali quer estar no top 3 dos seguros de arte em 2024

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião