Euforia da Bitcoin arrefece. Valor da criptomoeda abaixo dos 7.000 dólares

Há um mês, declarações do Presidente chinês fizeram a Bitcoin disparar. Este fim de semana, a pressão vendedora instalou-se e arrastou o preço da criptomoeda para um patamar abaixo dos 7.000 dólares.

No final de outubro, declarações otimistas do Presidente chinês sobre a tecnologia que dá gás à Bitcoin fizeram a moeda ultrapassar os dez mil dólares. Um mês depois, a euforia começou a arrefecer e o valor da criptomoeda mais popular do mundo já tocou um mínimo de 6.200 dólares.

O preço da Bitcoin esteve sob forte pressão durante este fim de semana e a tendência vendedora ainda não acabou. Nas últimas 24 horas, o valor da moeda virtual caiu 6,16%, com a moeda a cotar nos 6.724 dólares, um mínimo de seis meses, segundo dados da CoinDesk, consultados pelo ECO.

Preço da Bitcoin, dos 10.000 aos 6.700 dólares num mês

Fonte: CoinDesk

Esta queda vertiginosa acontece depois de o preço de uma Bitcoin ter chegado aos 10.071 dólares a 26 de outubro, quando o Presidente chinês, Xi Jinping, enalteceu o potencial da blockchain num discurso. Segundo o WSJ (acesso pago), as pesquisas pelo termo no Google também dispararam.

A blockchain é uma tecnologia de criptografia avançada que está na base do funcionamento descentralizado da Bitcoin. Nos últimos anos, têm surgido exemplos de que também pode trazer benefícios em áreas tão diversas como os seguros, o retalho, o luxo e a logística, por exemplo.

Apesar da queda, o preço da Bitcoin continua a estar acima dos cerca de 3.600 euros que uma moeda valia no início de janeiro deste ano. Entre outras coisas, a subida do valor em 2019 tem sido justificada com os planos do Facebook para desenvolver uma moeda virtual própria, a Libra, que poderá fazer com que esta tecnologia fique acessível a um público potencial de mais de dois mil milhões de pessoas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Euforia da Bitcoin arrefece. Valor da criptomoeda abaixo dos 7.000 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião