Galp tem novo contrato para fornecer energia renovável em Espanha

É o segundo contrato que a petrolífera portuguesa anuncia em dois meses para fornecer energia renovável aos lares em Espanha.

A Galp GALP 1,42% anunciou esta segunda-feira um novo acordo com uma elétrica espanhola para fornecer energia renovável naquele mercado. O contrato com a Grenergy Renovables vai permitir abastecer mais de 200 mil casas dentro de dois anos.

Segundo o comunicado da petrolífera portuguesa, o contrato tem subjacente projetos de geração de energia solar de 200 MW em Espanha, atualmente em desenvolvimento, cobrindo um montante total de 300 a 360 GWh por ano, durante um período de 12 anos, o qual será progressivamente alocado às atividades comerciais da Galp a partir de agosto de 2021.

“Este é o segundo contrato de aquisição de energia assinado pela empresa este ano, elevando para mais de 650 GWh por ano de energia renovável adquirida pela Galp até ao momento”, assinalada a companhia petrolífera portuguesa.

“Quando operacionais, espera-se que os projetos gerem energia suficiente para abastecer mais de 200.000 casas, economizando mais de 430 mil toneladas de CO2 por ano”, acrescenta na informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em outubro, a Galp tinha anunciado um acordo do mesmo género com a X-Elio para disponibilizar aos clientes, a partir de junho de 2020, energia solar proveniente de parques de 200 Megawatt no mercado espanhol.

Estes acordos fazem parte da estratégia de diversificação de negócios da Galp, que fechou os primeiros nove meses do ano com lucros de 283 milhões de euros (403 milhões de euros numa base RCA). É uma forte quebra nos resultados líquidos, explicada por efeitos não recorrentes associados à exploração de petróleo no Brasil.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galp tem novo contrato para fornecer energia renovável em Espanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião