Uber volta a ficar sem licença em Londres. Tem 21 dias para recorrer da decisão

A licença da Uber em Londres voltou a expirar sem ser renovada, o que acontece pela segunda vez em dois anos. A empresa tem 21 dias para recorrer, prazo durante o qual pode continuar a operar.

A Uber voltou a ficar sem licença para operar em Londres, um sinal de que as autoridades locais continuam a considerar que a empresa coloca em risco a segurança dos passageiros. É a segunda vez que acontece nos últimos dois anos, de acordo com a Reuters, mas a empresa pode continuar a operar durante a fase de recurso.

A validade da licença que a Uber detinha na capital do Reino Unido terminou esta segunda-feira e a contagem decrescente até este dia foi acompanhada de grande expectativa no mercado, uma vez que não existiam certezas sobre se esta autorização iria ser renovada. E não foi.

“É inaceitável que a Uber continue a a permitir que os passageiros entrem nos mini-táxis [um tipo de veículo muito popular em Londres] com motoristas potencialmente sem licença e sem seguro”, disse o responsável de regulação do regulador municipal, a Transportes para Londres (TfL).

Em causa, segundo a Reuters, está o facto de uma alteração na aplicação da Uber ter permitido que alguns motoristas carregassem fotos para as contas de outros motoristas, o que levou a que alguns condutores tenham transportado passageiros fazendo-se passar por outra pessoa. Dados da TfL, citados pela agência, apontam para que isto tenha acontecido em pelo menos 14 mil viagens.

A Uber tem agora 21 dias para recorrer da decisão e já garantiu que o vai fazer. Contudo, durante este prazo, pode continuar a explorar o negócio na região.

“A decisão da TfL de não renovar a licença da Uber em Londres é extraordinária e errada, pelo que iremos recorrer. Mudámos fundamentalmente o nosso negócio nos últimos dois anos e estabelecemos um padrão de segurança. A TfL considerou-nos um operador enquadrado e adequado apenas há dois meses atrás [sic], e continuámos a melhorar os nossos procedimentos”, garante a empresa, num comunicado.

A Uber refere, por fim, que, “em nome dos 3,5 milhões de passageiros e 45.000 motoristas licenciados” em Londres, irá “continuar a operar normalmente” e tudo fará “para resolver esta situação”. Londres é o mercado mais lucrativo para a Uber na Europa.

(Notícia atualizada às 12h30 com reação oficial da Uber)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uber volta a ficar sem licença em Londres. Tem 21 dias para recorrer da decisão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião