China alivia tensões comerciais. Soja e carne de porco dos EUA estão isentas de novas tarifas

O regime chinês anunciou que vai isentar de novos impostos aduaneiros as importações de soja e carne de porco dos EUA, numa tentativa de facilitar um acordo com os norte-americanos.

A China decidiu excluir das tarifas sancionatórias contra os EUA as importações de alguns tipos de soja e carne de porco, numa nova tentativa de aliviar as tensões comerciais para facilitar um acordo comercial com os norte-americanos.

Em causa, o imposto de 25% sobre as importações de produtos dos EUA anunciado por Pequim em julho de 2018, em retaliação contra uma medida semelhante anunciada por Washington, segundo informações avançadas pelo South China Morning Post, que cita um comunicado da Comissão Tributária do Conselho de Estado chinês.

Esta medida surge quando faltam poucos dias para entrar em vigor mais um conjunto de tarifas punitivas dos EUA contra o regime de Xi Jinping. Está previsto que, a 15 de dezembro, bens produzidos na China no valor de 160 mil milhões de dólares sejam alvo de uma nova tarifa aduaneira de 15%.

Os EUA e a China continuam a tentar negociar um acordo comercial que trave a escalada da guerra comercial entre as duas economias. A questão tem estado na base do abrandamento económico mundial que se está a verificar, com alguns economistas a anteciparem mesmo uma recessão global.

As negociações têm conhecido altos e baixos ao longo dos últimos meses. Esta semana, o presidente dos EUA, Donald Trump desferiu um novo golpe nas esperanças dos investidores, ao declarar não ter pressa e ao afirmar que o acordo comercial pode esperar até depois das eleições Presidenciais de 2020 no país. A informação provocou uma queda de 400 pontos no índice industrial Dow Jones na terça-feira.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China alivia tensões comerciais. Soja e carne de porco dos EUA estão isentas de novas tarifas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião