Depois do Rewind com mais “dislikes” de sempre, YouTube não inventa. Estes foram os vídeos com mais “likes” em 2019

Já foi publicado o habitual vídeo do YouTube que resume as principais tendências que marcaram o ano. Mas, desta vez, a plataforma decidiu apostar num estilo diferente.

Já foi publicado o YouTube Rewind 2019, o já habitual vídeo que a plataforma lança sempre em dezembro para resumir as tendências que marcaram o ano.

Porém, desta vez, a empresa assumiu uma mudança radical no estilo. Isto porque a edição do YouTube Rewind de 2018 bateu o recorde de…. “vídeo com mais dislikes da História do YouTube”, ou seja, o vídeo mais odiado de sempre na plataforma, segundo dados da própria empresa. Foram 16 milhões de votos negativos, no total.

“Em 2018, fizemos algo de que tu não gostaste. Por isso, em 2019, vamos ver o que tu realmente gostaste. Porque tu és melhor nisto do que nós”, indica o YouTube numa mensagem que antecipa o vídeo deste ano. Veja-o:

Até aqui, todos os anos, o YouTube tem feito fortes investimentos para produzir um vídeo que seja viral e resuma tudo o que marcou o ano na plataforma. Para tal, recorre sempre a figuras populares, como youtubers, celebridades e artistas pop conhecidos do público mais jovem.

Mas, na edição deste ano, a empresa apostou numa edição em que resume os vídeos com mais likes na plataforma (votos positivos da comunidade), não só na categoria generalista, mas também na categoria de música, jogos, beleza, entre outras. A lista completa dos destaques pode ser vista aqui.

O vídeo mostra figuras como Felix Kjellberg, o sueco mais conhecido por PewDiePie e é considerado um dos youtubers mais bem-sucedidos, ou o norte-americano Casey Neistat. Mas também conta com artista Ariana Grande, ou a espanhola Rosalía, que “superou mil milhões de visualizações” em 2019.

A divulgação deste vídeo, esta sexta-feira, surge um dia depois de a Google, dona da plataforma, ter divulgado a lista dos vídeos mais vistos em Portugal, com destaque para uma paródia da música de Ariana Grande, Thank U Next, da autoria da portuguesa Mafalda Creative.

Tal como o vídeo do Rewind, o ano de 2019 ficou marcado pelo aumento da pressão às plataformas como o YouTube, para que combatam o discurso de ódio ou o conteúdo promotor do mesmo, tal como a propaganda terrorista. A empresa garante que tem empenhado esforços para resolver estes problemas.

Concretamente em Portugal, recentemente, o YouTube esteve debaixo de fogo por ter permitido que algumas personalidades portuguesas com audiências maioritariamente jovens promovessem sites de apostas ilegais, como foi revelado por uma investigação da Renascença.

Após a publicação da peça jornalística, em meados do mês passado, o YouTube decidiu remover alguns dos vídeos em causa, que estavam a ser promovidos por youtubers portugueses, entre os quais Paulo Borges (Wuant) e Anthony Sousa (SirKazzio).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois do Rewind com mais “dislikes” de sempre, YouTube não inventa. Estes foram os vídeos com mais “likes” em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião