Mais de 100 carros importados de luxo apreendidos no distrito de Aveiro

  • Lusa
  • 13 Dezembro 2019

A investigação envolve 3 stands de automóveis que usaram empresas fantasma para comprar carros usados, por forma a não pagarem o IVA devido. Terão lesado o Estado em mais de 8 milhões de euros.

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) apreendeu 107 viaturas de alta gama em três concelhos do distrito de Aveiro, no âmbito da “Operação Elite” que investiga crimes de fraude fiscal qualificada, informou esta sexta-feira aquela entidade.

Um comunicado publicado no Portal das Finanças refere que no âmbito de um processo-crime, que corre termos no Departamento Investigação e Ação Penal (DIAP) de Aveiro, foram realizadas no dia 12 de dezembro, em Aveiro, Águeda e Ílhavo, 11 buscas domiciliárias e não domiciliárias, por suspeitas da prática do crime de fraude fiscal qualificada.

De acordo com a AT, a investigação está centrada em três stands de automóveis, sendo dois em Aveiro e um em Águeda, detidos por sociedades que utilizam empresas “fantasma” para adquirirem na União Europeia veículos usados, de forma a não pagarem o IVA devido, lesando o Estado português em mais de oito milhões de euros, atividade que vêm exercendo desde 2015.

“Na investigação, que teve início em 2018, apurou-se que estes operadores económicos se têm furtado ao pagamento do IVA devido nestas operações, convertendo de forma fictícia o regime do IVA aplicável, do regime geral, taxado a 23% sobre o valor de venda, para o designado ‘regime da margem’ no qual o IVA incide somente sobre a margem de comercialização, diminuindo assim drasticamente os montantes de IVA a entregar ao Estado”, refere a mesma nota.

Nesta ação estiveram envolvidos 45 inspetores tributários e cerca de 40 agentes da GNR e PSP, tendo sido apreendidos diversos elementos de prova, designadamente documentos contabilísticos, matrículas, documentação de legalização e ficheiros informáticos, para além da apreensão de 107 viaturas de alta gama.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais de 100 carros importados de luxo apreendidos no distrito de Aveiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião