Sócrates desmente Ricciardi. Diz que não pediu ao BES para investir na EDP

  • ECO
  • 23 Dezembro 2019

O antigo primeiro-ministro diz que as declarações de José Maria Ricciardi, de que a posição do BES na EDP tinha sido um pedido de Sócrates, são uma "fraude".

José Sócrates desmente “vigorosamente” as acusações de José Maria Ricciardi, que disse que a posição do Banco Espírito Santo (BES) na EDP foi um pedido do ex-primeiro-ministro. Sócrates classifica ainda as declarações do antigo presidente do BESI nos autos do caso EDP como “uma fraude”.

”Desminto vigorosamente que alguma vez tenha sugerido ou incentivado seja quem for a investir na empresa EDP. Essas declarações do dr. Ricciardi, como outras feitas ao longo dos últimos anos, são uma fraude”, disse ao Observador (acesso livre). “Começa a ser particularmente obsceno a troca de favores entre o Ministério Público e o dr. Ricciardi”, acrescentou.

Ricciardi revelou que Ricardo Salgado informou a Comissão Executiva do BES, no final de 2005, que “o então primeiro-ministro José Sócrates lhe tinha pedido para o BES adquirir uma participação qualificada na EDP (necessariamente superior a 2%)”, numa declaração que pode ser lida num auto de interrogatório do caso EDP.

O BES adquiriu uma posição na elétrica — 2,17% por 200 milhões de euros — em janeiro de 2006. O investimento “não resultou de um estudo económico-financeiro prévio por parte do BES”. Serviu para “satisfazer” o “pedido de José Sócrates ao arguido Ricardo Salgado”, disse Ricciardi, acrescentando que “continua a considerar inusitado e não tem memória de tal ter ocorrido mais alguma vez no BES”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sócrates desmente Ricciardi. Diz que não pediu ao BES para investir na EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião