Prisa convoca assembleia geral extraordinária para aprovar venda da Media Capital

  • ECO
  • 27 Dezembro 2019

A Prisa vai reunir os acionistas no próximo dia 29 de janeiro para aprovar a venda da Vertix SGPS, sociedade que controla 94,69% das ações do grupo audiovisual Media Capital.

O grupo espanhol Prisa, dono do Cinco Días e do El País, convocou uma assembleia geral extraordinária para o próximo dia 29 de janeiro para dar luz verde à venda da Media Capital, dona da TVI, rádios Comercial e Vodafone fm, entre outras.

Numa nota enviada à Comissão Nacional de Valores Mobiliários espanhola (CNMV), citada pelo Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol), a Prisa informa que vai reunir os acionistas a 29 de janeiro de 2020. Na ordem de trabalhos desta reunião está a aprovação da venda da Vertix SGPS, sociedade que controla 94,69% das ações do grupo audiovisual Media Capital. Além disso, será ratificada a nomeação de María Teresa Ballester como conselheira do grupo Prisa, com caráter independente.

A venda da Media Capital à Cofina, dona do Correio da Manhã, foi anunciada em setembro. No entanto, só na semana passada é que as duas empresas chegaram a acordo. A Cofina vai “pagar” menos 50 milhões de euros do que o previsto à Prisa para ficar com a Media Capital. O negócio ficou fechado por 205 milhões de euros. O ajuste terá sido realizado, uma vez que as contas da empresa liderada por Paulo Fernandos se agravaram e a TVI anunciou uma quebra de 90% dos lucros nos primeiros nove meses do ano.

A operação ainda está pendente da autorização definitiva dos reguladores, já que na decisão preliminar não se opuseram ao negócio. Além disso, é necessário a obtenção de “waiver” de determinados credores do grupo, bem como, a aprovação da Assembleia Geral. A Prisa espera fechar o negócio no primeiro trimestre do próximo ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Prisa convoca assembleia geral extraordinária para aprovar venda da Media Capital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião