Airbus bate Boeing. É a maior fabricante de aviões no mundo

A Airbus conseguiu entregar um total de 863 aeronaves o ano passado, o que representa um número recorde para a empresa europeia.

A Airbus voltou a assumir o título de maior fabricante de aeronaves do mundo, após anos em que sucessivamente perdeu para a rival norte-americana. A companhia europeia bateu a Boeing, que foi forçada a parar as entregas do 737 MAX, num ano em que conseguiu entregar 863 aviões, um número recorde.

Enquanto a Airbus entregou 863, a Boeing ficou-se pelos 345, isto entre janeiro e novembro, segundo dados do El País (acesso livre).A empresa norte-americana, que liderava o mercado desde 2012, foi afetada pelos problemas com o 737 MAX, avião que foi proibido de operar depois de dois acidentes fatais.

A Airbus, que em 2018 tinha entregue 800 aviões, conseguiu aumentar a produção com mais trabalhadores, mas também horários mais longos, superando mesmo a meta que tinha estabelecido de 860 unidades.

As fábricas da Airbus páram, habitualmente, no Natal e no Ano Novo. Todavia para fazer face às encomendas, tanto as unidades de produção como os centros de entrega estiveram em pleno funcionamento até ao final do ano para que fosse possível alcançar este recorde.

A Airbus foi afetada por atrasos no A321neo, montado em Hamburgo, na Alemanha, o que fez com que dezenas destes e outros modelos fossem armazenados em hangares à espera de reconfigurações de última hora, mas também à chegada de mais mão-de-obra. Este constrangimento obrigou a empresa a trabalhar a todo o vapor na reta final do ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Airbus bate Boeing. É a maior fabricante de aviões no mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião