Banco Montepio já tem CEO. Pedro Leitão assume funções

O Banco Montepio aprovou formalmente o nome de Pedro Leitão para presidente da comissão executiva para o mandato 2018-2021. Ex-Atlântico Europa assume funções de CEO imediatamente.

O Banco Montepio aprovou formalmente o nome de Pedro Leitão para presidente da comissão executiva para o mandato 2018-2021, após a reunião do conselho de administração que teve lugar na tarde desta quinta-feira. O ex-administrador do Atlântico Europa assume imediatamente as novas funções de CEO, dando início a “uma nova fase” na instituição controlada pela Associação Mutualista Montepio Geral.

“Enquanto líder da comissão executiva terá como missão central realizar plenamente o processo de transformação em curso no Banco Montepio, e inovar, com o propósito de tornar a instituição mais eficiente, digital e competitiva, retomando o caminho do crescimento”, diz o banco em comunicado.

Há quase dois anos que o Banco Montepio estava sem CEO efetivo, após a saída de José Félix Morgado em rota de colisão com Tomás Correia, então presidente da mutualista, principal acionista do banco.

Ex-Banco Atlântico Europa, onde estava desde 2015, Pedro Leitão era responsável pela transformação digital do banco, onde assumia também os “pelouros” do marketing, da tecnologia e ainda os negócios de private banking. Antes, Pedro Leitão foi administrador do Banco Millennium Atlântico (antigo Banco Privado Atlântico), em Angola, entre 2011 e 2015, onde foi Chief Operations & Marketing Officer, responsável pela implementação, entre outros da rede de retalho. Foi ainda partner da Deloitte, durante quase uma década, entre 2001 e 2011, contando ainda passagens anteriores pelo BBVA e BPI.

Pedro Leitão tem um MBA do ISEG e frequentou diversos cursos e programas de gestão executiva e de transformação digital em várias universidades de renome: London Business School, INSEAD, Stanford ou IMD Business School. Foi professor em várias universidades portuguesas.

“Com esta nomeação, o Banco Montepio inicia uma nova fase, reafirmando a ambição de fazer a diferença na vida das pessoas, empresas e instituições da economia social, honrando o legado de 175 anos de história de uma instituição sem par no panorama nacional”, frisa o banco.

(Notícia atualizada às 18h41 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco Montepio já tem CEO. Pedro Leitão assume funções

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião