Saiba quanto vai poupar na sua fatura da luz em 2020

No mercado liberalizado, as principais comercializadoras de eletricidade falam em descontos entre os 0,4 e os 2,5%. Por ano a poupança na fatura da luz poderá chegar aos 15 euros.

O início do ano traz boas notícias para os cerca de cinco milhões de consumidores de eletricidade que já mudaram para o mercado livre. Depois de a ERSE ter ditado uma descida de 0,4% nas tarifas reguladas que abrangem um milhão de clientes em Portugal — cerca de 18 cêntimos por mês numa fatura média de 44 euros — as principais elétricas confirmaram ao ECO que também vão fazer cair as tarifas para as respetivas carteiras de clientes. Por ano, a poupança pode oscilar entre três e 15 euros nos gastos com energia elétrica.

A EDP fala em preços entre 0,4 e 0,9% mais baixos e a Goldenergy avançou com uma queda de 1% nos valores cobrados pela energia elétrica fornecida. Na Galp Energia, em termos médios, as faturas dos clientes observarão uma redução próxima dos 0,4%, aplicável ao segmento residencial e a micro negócios para todos os consumos desde 1 de janeiro de 2020.

Já a Iberdrola não revela a sua política de preços para este ano, com fonte oficial a dizer apenas que a empresa “apresenta sempre ofertas competitivas, no início de cada ano”. Tal como em 2019, este ano a Endesa é a elétrica com maior percentagem de desconto: 2,5%. Há um ano, no início de 2019, a Endesa ia mais longe e dava conta de uma descida média de 6,3% nos preços da eletricidade para a sua carteira de clientes “apesar da constante subida do custo da eletricidade nos últimos anos”.

Quanto às restantes empresas a operar no mercado livre de eletricidade, a Galp anunciou no ano passado uma descida média de 2,6% em 2019, seguida pela EDP (menos 3,5% nas tarifas para 90% dos clientes domésticos) e pela Goldenergy (-4%). Já a Iberdrola garantia “menos 10% no valor final da fatura” para 2019. No mercado regulado, as tarifas baixaram no ano passado 3,5%.

Conheça em detalhe os descontos nos preços da eletricidade no mercado liberalizado

  • EDP baixa preços entre três e 15 euros nas faturas anuais

Fonte oficial da EDP Comrcial revelou que a empresa “irá reduzir os preços de eletricidade para as famílias em 2020: a descida será, em média, de 0,4%”.

“A redução de preços para 2020, quando aplicada aos perfis ERSE, traduz-se em descidas entre 3 euros por ano e 15 euros por ano na fatura anual do cliente”. De acordo com a elétrica, a redução média de 0,4% verifica-se para todos os níveis de potência e todas as opções horárias da carteira EDP e resulta de uma combinação da variação do preço da potência e da energia, aplicada ao consumo do cliente. A queda nos preços decorre também do aumento das tarifas de acesso às redes publicados pela ERSE a 16 de dezembro e da evolução em baixa dos preços da eletricidade no mercado grossista.

“Por exemplo, na tarifa simples, existe um aumento médio da potência contratada e uma descida da componente de energia que, combinadas, resultam numa descida de preço de 0,4%. Tomando como exemplo um cliente Perfil 1 da ERSE (tarifa simples com potencia 3,45kVA e consumo anual de 1900kWh), o impacto da atualização dos preços na fatura anual do cliente, resulta numa redução de menos 0,9%”, conclui fonte da EDP.

  • Endesa avança com redução de 2,5%, seis vezes mais do que o mercado regulado

De acordo com a elétrica espanhola liderada em Portugal por Nuno Ribeiro da Silva “a Endesa transferirá para os seus atuais clientes as variações do Índice de Preços no Consumidor e dos componentes regulados”.

Ou seja, para quem já é cliente da Endesa os preços não mexem, mas “para os novos clientes os preços de venda cairão 2,5%, ou seja, seis vezes mais que o da Tarifa Regulada”. “Todas as tarifas da Endesa implicam descontos significativos em relação à Tarifa Regulada”, garante a elétrica.

  • Galp com redução próxima dos 0,4% para domésticos e micro negócios

Já a Galp Energia vai aplicar uma redução de preços que reflete a variação das tarifas de acesso aprovadas pela ERSE e a redução dos custos de energia. Desta forma, “em termos médios, as faturas do clientes observarão uma redução próxima dos 0,4%”.

Esta redução, diz a comercializadora, “aplica-se aos clientes do segmento residencial e a micro negócios para todos os consumos a partir de 1 de janeiro de 2020”.

  • Goldenergy promete menos 15 euros na fatura anual

Ao ECO, fonte da Goldenergy disse que a empresa que integra o universo do grupo suíço Axpo “vai reduzir o custo do consumo de energia em 1% para todos os seus clientes, em 2020. Ou seja, o KWh consumido será 1% mais barato. Assim, devido ao aumento também aprovado pela ERSE em termos de acesso regulamentado para 2020, a Goldenergy consegue uma diminuição do preço final 35% superior à que foi aprovada para o Mercado Regulado”.

Em 2019, garante a empresa, as tarifas de eletricidade da Goldenergy geraram uma “poupança total para os nossos clientes de mais de dois milhões de euros. Em 2020, com as novas tarifas essa redução pode aumentar até 15 euros por ano”, diz fonte oficial.

  • Iberdrola fala em “ofertas competitivas”

Ao contrário de todas as outras, a espanhola Iberdrola prefere não tecer comentários sobre a sua política de preços para 2019, dizendo apenas que “apresenta sempre ofertas competitivas, no inicio de cada ano, e neste sentido, este ano não será exceção”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Saiba quanto vai poupar na sua fatura da luz em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião