Projetos base da REN com investimento médio anual previsto de 25 milhões até 2024

  • Lusa
  • 14 Janeiro 2020

O investimento médio anual previsto para os projetos base da REN – Redes Energéticas Nacionais é de 25 milhões de euros entre 2020 e 2024, revela documento colocado em consulta pública.

O investimento médio anual previsto para os projetos base da REN – Redes Energéticas Nacionais é de 25 milhões de euros entre 2020 e 2024, ascendendo a 27 milhões de euros no período 2025-2029, foi esta terça-feira anunciado.

Segundo o Plano de Desenvolvimento e Investimento da Rede Nacional de Transporte (PDIRT 2020-29), que a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) colocou hoje em consulta pública, consideram-se projetos base, por exemplo, aqueles que o operador de rede de transporte (ORT) “considera ter necessariamente de realizar” para garantir a segurança e operacionalidade das instalações na Rede Nacional de Transportes (RNT).

No período 2020-2024, o investimento médio previsto para os projetos base é de 25 milhões de euros, enquanto entre 2025 e 2029 este valor ascende a 27 milhões de euros.

Entre os projetos base encontram-se a remodelação dos sistemas de comando e proteção do Ribatejo, a monitorização de ativos, o recondicionamento de transformadores e a remodelação de linhas.

“A análise multicritério/custo-benefício realizada aos projetos base estima que os mesmos permitem para o Sistema Elétrico Nacional [SEN], no horizonte 2024, um beneficio percebido pelos consumidores na gama dos 1,4 milhões de euros/ano pela redução do risco de energia não fornecida e 10 milhões de euros pela redução da carga em risco de interrupção ou de corte”, apontou a empresa liderada por Rodrigo Costa.

Adicionalmente, é estimado um benefício entre quatro e nove milhões de euros “por se evitar um sobrecusto para o SEN devido a potenciais falhas que poderiam decorrer da opção hipotética de não realização ou adiamento dos projetos de investimento em remodelação/modernização de ativos”.

Por sua vez, o volume de transferências para exploração médias anuais vai representar 9,3 milhões de euros entre 2020 e 2024, enquanto, entre 2025 e 2029, vai subir para 67,9 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Projetos base da REN com investimento médio anual previsto de 25 milhões até 2024

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião