Crédito ao consumo trava para 651 milhões no mês antes do Natal

Os bancos e as financeiras concederam 651 milhões de euros em empréstimos para consumo, em novembro, aliviando do recorde registado no mês anterior, e antes do mês do Natal.

Os portugueses recorrerem menos ao crédito ao consumo no mês anterior ao Natal. Em novembro, os bancos e as financeiras disponibilizaram 651 milhões de euros em empréstimos com esse fim, com a concessão a aliviar face ao recorde registado em outubro, mostram dados do Banco de Portugal.

Os 651,2 milhões de euros em crédito ao consumo concedidos conjuntamente, em novembro, pelos bancos e pelas instituições de crédito especializado comparam com os 726,9 milhões registados em outubro, mês em que foi atingido um máximo da série disponibilizada pela entidade liderada por Carlos Costa que tem início em janeiro de 2013.

A quebra mensal dos montantes concedidos é transversal às diferentes finalidades de crédito ao consumo, mas foi mais intensa no que respeita aos empréstimos para a aquisição de carros. Em novembro, os novos empréstimos com esse fim totalizaram 237,8 milhões de euros, uma quebra de 14,8% face aos 279,1 milhões de euros concedidos em outubro.

Crédito ao consumo trava em novembro

Fonte: Banco de Portugal

A quebra ocorreu tanto no financiamento de novos e usados como na tipologia de crédito: com reserva de propriedade como na locação financeira ou ALD. Mas foi mais acentuada na aquisição de viaturas novas. Neste tipo de carros, o crédito com reserva de propriedade totalizou 50,3 milhões de euros, 20,2% abaixo do valor verificado em outubro, enquanto na locação financeira ou ALD foram concedidos 25,5 milhões de euros, menos 17%.

Nos usados com reserva de propriedade, segmento que representa o grosso do crédito automóvel, a quebra mensal foi de 13%, para os 152,8 milhões de euros. Já a locação financeira ou ALD de usados viu o volume de empréstimos baixar 5%, para 9,2 milhões de euros.

Já os outros créditos pessoais, que inclui financiamentos sem fim específico ou para a aquisição de artigos para o lar, reduziram-se em 9%, para os 298,1 milhões de euros. No crédito pessoal com finalidade educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos o volume de concessão baixou 18,6%, para 10,8 milhões de euros.

Foram ainda concedidos, em novembro, 104,5 milhões de euros de financiamento através de cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto, uma diminuição de 10,41% face ao mês anterior.

Os valores registados em novembro elevam para 6,9 mil milhões de euros, o crédito ao consumo disponibilizado nos primeiros onze meses do ano. Ou seja, um aumento de 2,67% face ao mesmo período do ano anterior.

(Notícia atualizada às 11:46)

Comentários ({{ total }})

Crédito ao consumo trava para 651 milhões no mês antes do Natal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião