Governo antecipa novo recorde no turismo. 2019 deverá registar 18 mil milhões em receitas

A secretária de Estado do Turismo antecipa um novo recorde nas receitas turísticas no fecho do ano passado. Já em termos de hóspedes, o Governo estima perto de 27 milhões de hóspedes.

Os dados finais ainda não foram apurados, mas o Governo antecipa um novo recorde para o turismo em 2019. De acordo com a secretária de Estado do Turismo, o ano passado deverá fechar com 18,1 mil milhões de euros em receitas turísticas, para além de quase 27 milhões de hóspedes.

“Este é um momento interessante para o turismo”, começou por dizer Rita Marques esta quarta-feira, durante um encontro da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), acrescentando que “estamos a entrar num novo capítulo do turismo”.

Assim, no dia em que saíram os dados mais recentes referentes a outubro, para além da estimativa de 18,1 mil milhões em receitas turísticas para 2019, a secretária de Estado antecipou também fechar 2020 com 25 mil milhões de euros em proveitos, uma meta que faz parte da estratégia 2020-2027. “Nas receitas temos tido um crescimento genericamente positivo”, disse, referindo um crescimento de 7,7% face a 2018.

Já em termos de hóspedes, Rita Marques notou os 23,7 milhões de hóspedes em outubro, número divulgado esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o que mostra um crescimento de 6,7% face a outubro de 2018. Assim, em 2019, a secretária de Estado antecipa um total “muito próximo dos 27 milhões de hóspedes”, tendo em conta essa mesma taxa de crescimento. “Ainda assim, a taxa de crescimento publicada hoje [observada em outubro] é superior a isso — 12,5%”, notou.

Mas, para Rita Marques, a sazonalidade é um “ponto importante”. “Temos como objetivo para 2027 uma taxa de sazonalidade de 33,5% e estamos a aproximar-nos de uma forma gradual, mas ainda assim assertiva, dessa meta”, afirmou, sublinhando que “é importante relevar que há disparidades regionais”. Outro dos objetivos para 2020 é atingir “uma taxa de crescimento de 3,5% nas dormidas de estrangeiros”.

Para ajudar a alcançar estes objetivos, o Governo prevê intervir através da criação de novas rotas aéreas (através do Programa VIP, dotado de dez milhões de euros), promover o país como atração turística lá fora, digitalizar o design e qualificar os recursos humanos do setor. Relativamente a esta último problema, Rita Marques diz que o Governo tem vindo a “trabalhar para agilizar processos de atribuição de vistos para alunos”, disse.

Mas, acima de tudo, a secretária de Estado do Turismo salientou que, para captar e reter mais turistas, levando-os a passarem mais noites nas unidades turísticas nacionais, é necessário criar novos produtos. São eles o Enoturismo, o turismo literário, o turismo desportivo e o turismo LGBTQIA+.

(Notícia atualizada às 16h26 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo antecipa novo recorde no turismo. 2019 deverá registar 18 mil milhões em receitas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião