Brasil foi o quarto maior destino de investimento externo do mundo em 2019

  • Lusa
  • 21 Janeiro 2020

O Brasil foi em 2019 o quarto maior destino de investimento externo do mundo, atrás dos Estados Unidos, China e Singapura, anuncia a Conferência das Nações Unidas.

O Brasil foi em 2019 o quarto maior destino de investimento externo do mundo, atrás dos Estados Unidos, China e Singapura, anunciou esta terça-feira a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, em inglês).

Segundo a UNCTAD, o Investimento Estrangeiro Direto (IDE) no Brasil cresceu 26% no ano que passou, com a entrada de recursos no país a passar de 60 mil milhões de dólares (54 mil milhões de euros) em 2018, para 75 mil milhões de dólares (68 mil milhões de euros) em 2019.

Na rede social Twitter, o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, exaltou o patamar alcançado pelo Brasil, afirmando que “a confiança está de volta” ao país sul-americano.

Para a UNCTAD, o investimento no Brasil foi impulsionado por programas de privatização que tiveram início em 2019 com o atual Governo.

Exemplo disso foi a venda, em junho último, da Transportadora Associada de Gás (TAG) pela estatal Petrobras a um grupo formado pela francesa Engie e pelo fundo canadiano Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ) por 33,5 mil milhões de reais (7,2 milhões de euros).

Quanto ao contexto global, o IDE totalizou 1,39 biliões de dólares (1,25 biliões de euros) em 2019, valor ligeiramente inferior aos 1,41 biliões de dólares (1,27 biliões de euros alcançados em 2018).

Os fluxos de investimento para os países desenvolvidos diminuíram 6%, enquanto os das economias em desenvolvimento permaneceram inalterados, de acordo com a UNCTAD.

“A tendência para as economias desenvolvidas foi condicionada pela dinâmica do IDE na União Europeia”, indicou a conferência das Nações Unidas.

A liderar a tabela estão os Estados Unidos com um IDE de 251 mil milhões de dólares (226 mil milhões de euros), seguindo-se a China com investimento de 140 mil milhões de dólares (126 mil milhões de euros) e Singapura com 110 mil milhões de dólares (99 mil milhões de euros).

O Brasil é quarto classificado com 75 mil milhões de dólares, seguido pelo Reino Unido, com 61 mil milhões de dólares (55 mil milhões de euros), Hong Kong, com 55 mil milhões de dólares (50 mil milhões de euros), e França, com 52 mil milhões de dólares (47 mil milhões de euros).

Para o corrente ano, a UNCTAD projeta um crescimento moderado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brasil foi o quarto maior destino de investimento externo do mundo em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião