Metro de Lisboa já recebeu propostas para linha circular. Casais/Acciona tem o preço mais baixo

O Metropolitano de Lisboa recebeu quatro propostas para a construção entre a estação do Rato e Santos. A mais barata foi a da Casais/Acciona, e a mais cara da Teixeira Duarte/Alves Ribeiro.

O Metropolitano de Lisboa já recebeu as propostas para a primeira fase de expansão da rede, para criar a linha circular e ligar o Rato ao Cais do Sodré. Foram quatro os concorrentes que apresentaram propostas, que serão agora analisadas e avaliadas pelo júri responsável. Aquelas referentes à ligação entre Santos e Cais do Sodré foram mais altas que o preço base definido, por isso deverá ser feito novo concurso.

Para o lote 1, que diz respeito à construção entre as estações do Rato e Santos, candidataram-se quatro empresas, anuncia o Metropolitano, em comunicado. A proposta mais barata foi a da Casais/Acciona, enquanto a mais cara foi da Teixeira Duarte/Alves Ribeiro.

  • Casais/Acciona: 47,690 milhões de euros
  • Zagope: 48,624 milhões
  • Mota Engil/Spie Batignolles International: 49,631 milhões
  • Teixeira Duarte/Alves Ribeiro: 77 milhões de euros.

Já para o lote 2, para a construção entre a estação de Santos e o Cais do Sodré, foram apresentadas duas propostas, ambas com valores superiores ao preço base definido para o mesmo no processo de concurso. A Mota Engil/Spie Batignolles International propôs o preço de 87,5 milhões de euros. Já a Teixeira Duarte/Alves Ribeiro sugeriu 110 milhões de euros.

Como ultrapassam o valor estabelecido, deverão ser excluídas. “Após a elaboração do Relatório Final, e caso se confirme a exclusão das duas propostas apresentadas para o Lote 2, o Metropolitano de Lisboa lançará, oportunamente, novo concurso para adjudicação da empreitada de Execução dos toscos entre a Estação Santos e o término da Estação Cais do Sodré”, explica a empresa.

O plano de expansão prevê o prolongamento das linhas amarela e verde, que se irão juntar para formar uma linha circular, “viabilizando a criação de um anel envolvente na zona central da cidade de Lisboa”, aponta o Metropolitano.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Metro de Lisboa já recebeu propostas para linha circular. Casais/Acciona tem o preço mais baixo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião