Em Lisboa e Porto, há freguesias onde os preços das casas subiram 40%. No Lumiar, caíram

Os preços das casas subiram 7%, mas nas duas principais cidades do país, como seria de esperar, os aumentos foram cerca do dobro. Metro quadrado no Porto está nos 1.800 euros e em Lisboa nos 3.200.

Os preços das casas continuam a subir, embora o ritmo de aumento esteja a desacelerar. A nível nacional, o valor do metro quadrado está 7% mais caro, fixando-se nos 1.054 euros no terceiro trimestre do ano passado, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Mas nas duas principais cidades do país, como tem sido habitual, há poucos sinais de abrandamento. Há freguesias em que os preços dispararam 30%, 40% e até quase 50%. Mas também houve uma em que os valores caíram.

Comprar casa em Lisboa custava, entre julho e setembro do ano passado, 3.205 euros por metro quadrado, mais 11,4% face ao trimestre do ano anterior, continuando este a ser o município mais caro do país para viver. A freguesia de Santo António é a mais cara, com um valor de 4.889 euros por metro quadrado, enquanto Santa Clara se apresenta como a mais barata (2.090 euros por metro quadrado).

Mas, em termos de evolução dos preços, o cenário muda de figura. Foi em Marvila onde os preços mais subiram: 47,6% para 2.845 euros por metro quadrado, deixando esta freguesia de ser a mais barata da capital, como aconteceu noutros tempos. Este desempenho pode ser explicado pela venda dos apartamentos do Prata Riversidade Village, um empreendimento da VIC Properties na linha do rio.

Contrariando a tendência de subida da generalidade das freguesias da capital, houve uma onde os preços das casas desceram. Foi no Lumiar, na Alta de Lisboa, em que os preços caíram 1,3% para uma média de 2.596 euros o metro quadrado, refere o INE.

Preço do metro quadrado nas várias freguesias de Lisboa | INE, terceiro trimestre de 2019.D.R.

Preços sobem (mais) no Porto. Bonfim dispara 40%

No Porto, depois de no segundo trimestre a cidade ter superado pela primeira vez a média nacional, os preços desta vez subiram mais do que em Lisboa. Enquanto na capital a subida foi de 11%, na Invicta esse aumento foi de 18,2% e o metro quadrado já custa 1.802 euros, de acordo com o INE. Ainda assim, continua a ser muito mais barato comprar casa no Porto do que em Lisboa (3.205 euros o metro quadrado).

Para quem está a pensar comprar casa, convém saber que é na União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde que os preços são mais altos. Nesta zona, o metro quadrado já custa 2.414 euros, tendo subido 7,3%. A opção mais económica é Campanhã, que continua a ser a freguesia mais barata do Porto, com o metro quadrado a custar 1.170 euros, mas tendo subido 18,7%, mais do que a média da cidade.

Contudo, e assim como em Lisboa, se analisarmos a evolução destes valores o cenário também se altera. A maior subida aconteceu no Bonfim, onde os preços aumentaram 39,4% para 1.839 euros por metro quadrado, enquanto a subida mais discreta aconteceu na União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde (a freguesia mais cara da subida).

Preço do metro quadrado nas várias freguesias do Porto | INE, terceiro trimestre de 2019.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Em Lisboa e Porto, há freguesias onde os preços das casas subiram 40%. No Lumiar, caíram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião