Santander Totta lucra 527,3 milhões. É o melhor resultado de sempre

O Banco liderado por Pedro Castro e Almeida viu os seus lucros crescerem 5,5% face ao ano anterior, apoiados no crescimento do produto bancário.

O Santander Totta encerrou o último ano com lucros de 527,5 milhões de euros, um aumento de 5,5% face ao ano anterior. O resultado alcançado pela instituição financeira comandada por Pedro Castro e Almeida foi o melhor da sua história.

A dar fôlego às contas do banco esteve o produto bancário que cresceu 7% em 2019, “refletindo a evolução positiva ao nível das comissões, da atividade de seguros e de resultados em operações financeiras“, explica a instituição.

O produto bancário da instituição totalizou 1.344,5 milhões de euros, acima dos 1.256,1 milhões de euros. As comissões líquidas contribuíram para esse resultado ao totalizarem 380,5 milhões de euros, 4,8% acima do verificado em 2018. A favor desse resultado, estiveram os resultados de operações financeiras que ascenderam a 95,2 milhões de euros.

Já ao nível da margem financeira (diferença entre juros cobrados nos créditos e pagos nos depósitos), o balanço é negativo, o que acabou por refletir-se de forma negativa no produto bancário da instituição. “Foi um ano complexo tendo em conta os juros negativos“, diz a esse propósito Manuel Preto, CFO do Santander Totta. A margem financeira acabou por baixar 1,2% face a 2018, para 855,8 milhões de euros.

Ao nível do balanço, a instituição financeira também registou uma quebra de 1% no stock de crédito, para 40 mil milhões de euros, que “reflete os impactos das vendas de carteiras de créditos não produtivos”. Excluindo esses efeitos, esta teria permanecido praticamente inalterada. A redução do volume de crédito às empresas — em 3%, para 17.654 milhões de euros — contribuiu para a quebra do volume de crédito total. Sentido oposto, verificou-se no crédito aos particulares que subiu 0,7%, para 21.788 milhões de euros.

Já o rácio de exposições não rentáveis (NPE, na sigla em inglês) baixou para 3,3%, contra os 4,2% registados no final de 2018.

Quanto aos recursos de clientes, estes totalizavam no final de 2019 42,5 mil milhões de euros, um aumento de 6,1% face ao período homólogo, com a contribuição dos depósitos. Subiram 5,2%, para os 35,2 mil milhões de euros.

Por sua vez, os custos operacionais reduziram-se 2,9%, para 604,4 milhões de euros, reflexo da diminuição em 3,6% dos custos com pessoal e de 5,9% dos gastos gerais. Em 2019, saíram do Santander Totta 249 colaboradores, tendo ainda encerrado 30 agências.

O rácio de common equity tier 1 subiu de 14% em 2018 para 15,2% no ano passado, “refletindo a capacidade de geração orgânica de capital, assim como a gestão dos ativos ponderados pelo risco.

(Notícia atualizada às 13h23 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Santander Totta lucra 527,3 milhões. É o melhor resultado de sempre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião